domingo, 17 de janeiro de 2021

Diferentes arquitecturas



 Em deambulação pelo jardim,

 o encontro com a admirável arquitectura da aranha invisível


 . Nocturna, Gotan Project

domingo, 10 de janeiro de 2021

A geada no jardim






 Aguardando serenamente a Primavera!


.Winter, (The four seasons), Vivaldi

 

domingo, 3 de janeiro de 2021

Série Haikus


Visto roupa nova
no dia de Ano Novo -
quem sou eu agora?


(O eremita viajante, Matsuo Bashô)


Witchcraft, Bill Evans Trio

 

domingo, 27 de dezembro de 2020

A persistência da luz



Deixemos partir o que nos entristece,
 confiemos na persistência da luz

Bom Ano de 2021


Blue Maqams, Anouar Brahem


domingo, 20 de dezembro de 2020

A quadra natalícia

Aproxima-se o tempo. Como será este ano??

 


  Blue Camel, Rabih Abou-Khalil

 

domingo, 13 de dezembro de 2020

Tempo de sonhos adiados


É bom concretizar sonhos, e este há muito que andava a ocupar espaço dentro de mim, avolumando-se cada ano que passava. Com o Quarteto de Alexandria, tinha eu tido contacto nos anos 80, e depois de tê-lo lido a primeira vez reli-o e voltei a relê-lo, ciclicamente. Sempre dizendo que um dia haveria de me passear em Alexandria pela mão de Lawrence Durrell.

Há muito que tinha descoberto o gosto de conhecer uma cidade pela mão de um escritor: o Rio de Janeiro e Luíz Alfredo Garcia-Roza, o Mindelo e Germano Almeida, Nova York e Philip Roth ou Paul Auster.

 E a hora de Alexandria surgiu, em jeito de prenda de aniversário, no início da década de 2010!

Foram dias intensos de descoberta, em que sonho, literatura e realidade se interligaram de modo indelével: como hotel escolhemos o Cecil, onde Justine e Darley se encontraram pela primeira vez; numa noite especial tomámos uma bebida no Bar Mountolive; caminhámos a pé pela meia-lua da Corniche; passámos um dia em visita à  casa do poeta Konstantínos Kaváfis; perdemo-nos pela Rua Fouad, à procura de Clea; tomámos um chá no Café Al Aktar, mas não encontrámos Balthazar; e todo um dia foi pouco para apreciarmos a Biblioteca!

É bom concretizar sonhos! É bom recordar, neste tempo de sonhos adiados!


Rabih Abou-Khalil, Roots and Sprouts


 

domingo, 6 de dezembro de 2020

A árvore fumadora

 

Surpresas de quem gosta de começar o dia  lendo o céu…

 

Smoke gets in your eyes, The Platters