domingo, 10 de fevereiro de 2019

O prazer dos reencontros



 
 Foi lá algumas vezes como filha e guardou as histórias de
 cavaleiros e damas e guerras vencidas que o pai lhe contava
 
 
Voltou lá como mãe,  reinventou as histórias
ouvidas do pai e entregou-as ao filho
 

 
E hoje, idosa, olha serena o castelo que permanece quase
 imutável, como quase imutáveis permanecem as memórias
 
 
 
.
Yesterdays, Miles Davis
 
 
 
 
 
 

9 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

Tenho de lá ir!

Rosa dos Ventos disse...

Gosto tanto deste castelo de encantar!
Tenho que lá levar os meus rapazes!

Abraço

Isabel disse...

Tão bonito:))

Lilazdavioleta disse...

O castelo sente-se " obrigado " a permanecer imutável enquanto existirem seres que o olhem como ele merece .
Seres que para lá do olhar , comunicam .
Tu e os Teus fizeram -no .

Era , não , é uma vez ... um belo castelo que permanece , sustentado pelos sentimentos dos que o sabem ver .

Lilazdavioleta disse...

Esqueci ... gosto essencialmente da ultima foto .

jorge esteves disse...

São histórias que as pedras (guardam) contam. Como outras pedras, outros lugares. mesmo que sejamos nós as pedras.
(Almourol tem sortilégio, tem...)
Abraço, amiga.
jorge

www.tintapermanente.pt

Sam Seaborn disse...

Fiquei com vontade de conhecer. Quanto às palavras… também gostei, a vida é feita de reencontros e tenho alguma dificuldade em entender as pessoas que dizem que não gostam de voltar a lugares já visitados… abraço

M. disse...

Na beleza das coisas da vida me encontrei contigo aqui.

bettips disse...

Fiquei encantada, tanto pensei durante anos neste castelinho no Tejo... Fui vê-lo há alguns anos e estava mesmo como o meu sonho e tão bem dizes tu. Havia um galo garnisé que até esperava pelo barqueiro no pequeno cais!