domingo, 28 de julho de 2019

Os laços visíveis e os invisíveis



Que laços dar?
Que pontas agarrar?
 
.
 
Sur l'infini bleu, Anouar Brahem
 
 


7 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Uns e outros dão-nos sempre muita força!

Abraço

Teresa Durães disse...

Todas as pontas que nos possam salvar, que nos possam tornar melhores, que nos levem a um caminho mais digno porque estamos tão necessitados nesta loucura que anda para aí espalhada.

Mister Vertigo disse...

Não conhecia este blogue e encontro por aqui um dos livros da minha vida "O Quarteto" e o seu autor, tal como um dos músicos aqui de casa:-)
Terminei de ler recentemente a interessante Correspondência Durrell/Miller.
Irei passando por aqui.
Boa noite!

João Santana Pinto disse...

A vida é feita de laços, de todos eles, visíveis ou não. É dar todos os laços que parecerem valer a pena... os que nos dão força, que iluminam, que reforçam, que criam memórias.

Mister Vertigo disse...

Obrigado pela visita e comentário, já a coloquei no meu blogue e penso que já a consigo seguir. Os laços representam as pequenas afinidades: os livros, a música e o cinema em que se permuta as descobertas.
Muito boa noite!

um de nós disse...

Os laços e nós.
Os laços e os nós.
Nós e os laços.
enLAÇO-te.

jorge esteves disse...

Os laços são pontos sem nó. Umas vezes sim, mas outras vezes não.
jorge

www.tintapermanente.pt