domingo, 30 de maio de 2010

Aérea


Está cá em casa há muitos anos. Sempre aérea. Tão aérea, que se tem esquecido de dar flor.
Este ano humanizou-se, tornou-se abrigo, e mesmo sem descer à terra, timidamente floriu.
.
I get a kick out of you, Charles Mingus









32 comentários:

Violeta disse...

As nossas plantas às vezes surpreendem-nos... levam-nos a questionar o que é normal?
Bjs

o-da-casa disse...

Pois. É do carinho com que, ao longo destes anos de convivência, a temos olhado, com que a temos tratado, sobretudo tu.

as-nunes disse...

As plantas são muito sensíveis...
O local, o estado da meteorologia, o próprio momento esotérico (nem sabendo nós explicar bem o que é que isto será...mas as plantas também se sentem bem ou não como os outros seres vivos, parece-me a mim que não podemos questionar este facto/probabilidade).
Simplficando. Estes casos são mais frequentes do que quem andar distraído, só a pensar nas coisas materiais, imagina...).

Uma maravilha, a Natureza quando devidamente apreciada!

Bom Domingo, Justine
António

anamar disse...

As surpresas dos seres que nos acompanham ao longo da vida..
Um regalo para os olhos...
Bom domingo.
P.S. deeixei-te um recadinho lá na "casinha".

Rosa dos Ventos disse...

A minha continua tímida e não florida! :-))

Abraço

Há.dias.assim disse...

E o gato não a tenta apanhar?

Maria disse...

Tenho uma cá há uns 2 anos. Nem sabia que dava flor...
(mas também a minha aérea anda um pouco rasteira, :))) )

Sara disse...

Uma amiga cuja casa visitei ofereceu-me uma há uns meses. Na altura, fiquei imensamente espantada com esta planta aérea. É um tanto ou quanto estranho pensá-las sem raízes. A elas, como a outros elementos vivos... :)

Licínia Quitério disse...

Também tenho há muitos anos. Não estão lá muito bonitos este ano.

Beijinho.

GR disse...

Em casa da minha avó havia uma igual, não mais voltei a ver está planta.
A música de fundo está fantástica, tão bem combina com a foto.

Um Gd Bj,

GR

salvoconduto disse...

O sacana que sobre está abrigado aqui multiplica-se até dizer basta. O Boss confunde-os com bolas e quando os abocanha está-se mesmo a ver o que acontece...

MagyMay disse...

Lembro de existirem na casa da minha avó ... um passado em que tanto floriu em mim!

Boa música, Justine
Saio em voo...

Fernando Samuel disse...

A dizer-nos que vale a pena viver - mesmo que só uma vez dando flor...

Um beijo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Finalmente percebeu que também tinha que cumprir o seu ciclo? Bela imagem esta, para início de semana...

Gárgola disse...

A paciência, ciência da espera?
Floração abrigada no seio da planta, palavra que traduz o reduto da contemplação sem fatiga.

Belo!

intimidades disse...

e que lindas flores


sim com o calor so me apetece estar como ela no sofa

Beijos
Paula

O Puma disse...

Subiu à terra.

Pronto.

Duarte disse...

... e que belas flores deu!

As plantas por vezes são assim de caprichosas, aprendem connosco.

Beijinhos

greentea disse...

não sabia que dava flor ! e são lindas ...
já tive há uns anos e não sei o que lhe aconteceu ...

Pitanga Doce disse...

E prontos! Personalidade forte e aérea!

Lilá(s) disse...

E que linda flor! nunca vi!
Bjs

mdsol disse...

Poeta é o que tu és. Do trivial fazes um hino.
Beijos

:)))

dona tela disse...

A CONJUNTURA OBRIGA E AQUI ESTOU EU.
ATENTA E OBRIGADA.

samuel disse...

Basta um dia...

Beijo.

legivel disse...

... uma vez tive uma (não, não estou a brincar, tive mesmo uma planta aérea, dessas que a imagem mostra), mas foi um problema com os vizinhos dos andares de baixo. É que a planta era danada para fazer piruetas e voos rasantes. Um belo dia, saíu à doida do meu décimo-segundo, entrou em picado pela janela da casa de jantar do sétimo-esquerdo, provou da sopa de legumes, despediu-se em parafuso pela varanda e aterrou no primeiro andar direito. Ao lado da cama da dona da casa, por sinal uma bela viúva. doida por aeromodelismo. Não me perguntes como é que ela descobriu que era uma planta-macho... sem asas e que crescia-voando... para baixo. Certo, certo, é que nunca mais lhe pus a vista em cima.

legivel disse...

... uma vez tive uma (não, não estou a brincar, tive mesmo uma planta aérea, dessas que a imagem mostra), mas foi um problema com os vizinhos dos andares de baixo. É que a planta era danada para fazer piruetas e voos rasantes. Um belo dia, saíu à doida do meu décimo-segundo, entrou em picado pela janela da casa de jantar do sétimo-esquerdo, provou da sopa de legumes, despediu-se em parafuso pela varanda e aterrou no primeiro andar direito. Ao lado da cama da dona da casa, por sinal uma bela viúva. doida por aeromodelismo. Não me perguntes como é que ela descobriu que era uma planta-macho... sem asas e que crescia-voando... para baixo. Certo, certo, é que nunca mais lhe pus a vista em cima.

OUTONO disse...

Caprichos da natureza....

Juani disse...

que tal justine, como te va la vida, aunque por joaquin tengo noticias tuyas, espero que te encuentres bien
saluditos

pinguim disse...

E que bonita ficou...

bettips disse...

Vou falar disso à minha "aérea" ... tão desumana e insistentemente cega há tb muitos anos. Será este ano o ano dos prodígios?
Bjs

Alien8 disse...

... pois que já não era sem tempo! :)

LIndas, as fotos!

jawaa disse...

Pois, justine, são sempre tão belas as tuas fotos, dizem sempre mais do que tu!
Sabes, as aéreas muitas vezes se esquecem de dar flor. Ou não têm força, desgastadas pelo voo.
Abraço