sexta-feira, 1 de abril de 2011

Poemas do Tempo Breve


O Poema não vem
O poema não vem quando se chama.
Desobediência é sua inclinação
ou seu jeito de ouvir é uma brandura
que só percebe falar de coração.
Aguardarei que a pedra,
lançada ao lago no anoitecer,
regresse reluzente à minha mão
e se diga palavra ou vento ou amanhecer.
Poemas do Tempo Breve, Licínia Quitério
.
Brandenburg Concerto nº4,Andante, J.S.Bach


24 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Amiga,a tua música continua a deliciar-me. E o poema é lindíssimo e sugestivo.

Um beijo grande.

Rosa dos Ventos disse...

Dizer o quê, Justine?
Um poema feito lago na tua imagem e uma música feita chamamento!

Abraço

pinguim disse...

As palavras, a música e a foto combinam perfeitamente.

jrd disse...

Vamos nós ter com ele.
Abraço

Duarte disse...

Um vazio que cria a incógnita...

Um grande abraço, querida amiga

salvoconduto disse...

Poemas do Tempo Breve, lidos num tempo que nunca mais acaba.

R. disse...

Três poemas que se transformam num só e compõem este belíssimo 'post'.

Abraço grato :)

Rosa dos Ventos disse...

Deixei-te lá a explicação do local...
Andaste muito perto! :-))

Abraço

mfc disse...

Há coisas que não voltam mais... não há tempo para regressos!

A música?! Soberba...!

utopia das palavras disse...

Acabei de adquirir o livro, ainda não o li, mas em breve será a delícia de uma noite!
Gosto imenso da poesia da Licínia Quitério!

Abraço

intimidades disse...

lindissimo

Bjinhos
Paula

livia soares disse...

Bela postagem.
Tenho tido dificuldade com o tempo e sua presença escorregadia...
combinou muito bem com Bach.
Um abraço.

Sara disse...

Belíssimo encontro que aqui proporcionaste, Justine. Gosto de tudo... mas esta fotografia é "do outro mundo". Absolutamente divina.
Bom fim-de-semana!

Fernando Samuel disse...

Às vezes, vem - se for chamado por um Bach, ou assim...

Um beijo.

anamar disse...

Belo poema e a música pedida pelo tempo que passou a fazer.
Beijiho
Ana

al disse...

Nostalgicamente bonito esse post.

Mel de Carvalho disse...

Um livro que tenho, neste momento, na minha mesa de cabeceira. Quase lido mas a que sei, voltarei. Belíssimo.

Beijinho Justine. Bela homenagem à Licínia de quem sou fã.

viajante disse...

Encantamento!

JPD disse...

Dá os meus p+arabéns à Licínia Quitério.
Diz-lhe que desejo o maior sucesso para a edição do livro.
Bjs

Mar Arável disse...

Licínia

pois claro

Bjs

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Excelente!

intimidades disse...

hehe
por acaso ficam la bem as algemas lol

Bjinhos
Paula

Lilá(s) disse...

Um bom poema acompanhando uma imagem bem sedutora.
Bjs

Sofá Amarelo disse...

O tempo é cada vez mais breve, por isso é urgente que se lhe faça um poema em forma de palavra ou vento ou amanhecer!