domingo, 28 de agosto de 2011

"Coisas" Rastejantes

Pode ter sido por causa dos ventos desabridos deste verão atípico; pode também dever-se ao ar meio envenenado que se respira no país; pode até ser que pragas desconhecidas estejam a abater-se sobre os nossos jardins - o certo é que este ano as minhas roseiras foram devastadas por hordas vorazes de lesmas, tendo ficado reduzidas a tristes troncos nus.
E agora que já começavam a recompôr-se, eis que descubro um numeroso grupo de inquilinas quiçá belas mas, talvez por isso, muito inquietantes...
E não se pode exterminá-las? Ajuda precisa-se...
.
A Walkin' Thing, Benny Carter


30 comentários:

vovó disse...

! :) a tua subtileza, no bem escrever e ilustrar, agrada-me... e "mata-me"! :)...
vemo-nos 6ª feira?...
beijocassssss (perfumadas de puré, geleia e compota de maçã :))... gratias :)!)
vovómaria

Rosa dos Ventos disse...

Por aqui foram os tomateiros, que tenho em vasos, que foram "rendilhados" não sei por que "mãos" habilidosas! :-))
Há "pragas" das quais é difícil livrarmo-nos!:-((

Abraço

trepadeira disse...

Essa bela lagartinha,apareceu por aqui numa planta selvagem "Lactuca".
Ainda não foi possível identificá-la.Nem mesmo alguns amigos especialistas a quem a enviei.
Lesmas é fácil eliminar:
Menos rega,sem humidade não sobrevivem;
Se continuarem,em grande quantidade,um pouco de farelo trigo coberto com uma boa folha de couve;de manhã estarão por lá.
Um abraço,
mário

Maria disse...

Não gosto dessa bicheza rastejante (nem da outra...). Por mim dum-dum resolveria. Pena que não resolva nos outros :)))

Bom dia!
Beijo e até sexta.

pinguim disse...

Além de algo nojentos, são mesmo causadores de destruição.
Tais como a algumas pessoas que por aí pululam, fazes bem em relembrar "E não se podem exterminar?"

jrd disse...

Poder, pode-se, mas era a mesma coisa, vinham outras, que esta "fauna" reproduz-se mesmo depois de desaparecer...

Abraços

o cohabitante disse...

Vêm em hordas de troikas, isto é, às três de cada vez, as lesmas e os ventos, as pragas e as lagartas.
Ajuda desta não se precisa. Ajudarmo-nos, precisamos para nos ver livres das que de fora vêm e por cá têm quem as recebam bem, em troikas/tropas fandangas organizadas.
Sei que o teu belo "post" merecia outras leituras/comentários mas, na sua subtil ambiguidade, também abre caminho a desabafos destes.

Já 'i vou!

Pitanga Doce disse...

Não as extermines que podem ser da familia das que voavam lá em casa! Quem sabe ainda se transformam como as minhas?

Quanto às outras pragas, nem com caçadeira de dois canos!

Tenho um dia de céu mais que azul...lá fora.

Beijos na tarde que quase finda para ti. Aqui apenas começa.

carol disse...

Eu cá não sei nada disso.Sou uma "menina" da cidade...

lino disse...

Feias e nojentas. Dum-dum nelas.
Beijinhos

mfc disse...

Adoro ver estas lagartas... e imagino o teu entusiasmo a fotografá-las!

Lilá(s) disse...

Tenho pena das roseira mas as lagartas são lindas! que cores!
Bjs

GR disse...

Justine
A beleza do teu texto é comparável com a da lagarta (Agrius convolvuli).
Eu fui radical no combate a este simpático bichinho; plantei em floreiras couves e outras plantas. Comem o que lhes cultivei e nunca mais tive problemas. (é mesmo verdade)

Gd BJ

GR

Duarte disse...

Beleza destrutora entre folhas verdes.
Também encontrei aqui em casa essa contrariedade.
Beijinhos, sim...

gatinhadoze disse...

São a minha especialidade. Irei com todo o gosto, desde que o Mounty me faça companhia...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostava de lhe dar uma ajuda, mas confesso a minha ignorância nessa matéria...
Mas que as bichinhas são giras, lá isso são.

Fernando Samuel disse...

Estamos tramados: só nos saem... pragas...
O que vale é que sexta-feira tudo será diferente...

Um beijo.

OUTONO disse...

...vá lá... são o equilíbrio da natureza...
...os outros rastejantes...bem podiam ser mandados, para donde vieram...a exemplo de um 1º Dez. de 1640...
Bem orquestrado este post...como sempre!
Abraço!

Sofá Amarelo disse...

Rastejando até elas não resulta, já tentei... tentei convocando-as para um repasto... de legumes!

Licínia Quitério disse...

O bicho nem é feio, mas não augura nada de bom para as roseiras. Pragas é o que tem havido por aí. Nos meus vasos, na minha terra, no meu país. Se eu soubesse como exterminá-las, bem que o faria. Devoram tudo, sem dó nem piedade. Até era capaz de lhes dar um passe "social mais", que é assim como um letreiro de pobrezinho na testa, e exportá-las para... para ... Quanto ao destino é que ainda não me decidi.

Beijinhos.

trepadeira disse...

Desculpem voltar.
A eliminação de todas as plantas,ditas selvagens e infestantes,leva os animais,em desespero de carência e contra vontade,a alimentarem-se de tudo o que encontram.
Desde que deixei de eliminar toda a flora natural acabaram os ataques violentos e destruidores das cultivadas.
A confirmar-se ser a borboleta "Agrius convolvuli"(nunca a fotografei nem vi nesta fase e com estas cores) que, tal como o nome indica,se alimenta de uma planta da família "convolvuli",ou seja,corriolas ou estende- braços,bastará deixar crescer algumas pelo jardim,são até lindas,quando em flor,e a lagarta voltará,concerteza,à alimentação natural,deixando em paz as roseiras.
Um abraço,
mário

Clarice disse...

Faço algumas experiências, mas não sei se obedecem alguma lei universal. Nunca ter um só tipo de planta no canteiro ou vaso. Assim a fome se distribui. Fazer armadilhas com algodão embebido em cerveja para as lesmas, mas depois terás de tirá-las e jogá-las no lixo bem fechado. Para as coloridas visitantes, experimente preparar um litro de chá de camomila forte, deixe esfriar e aplique com borrifador nas plantas. Mas não guarde as sobras, que o cheiro é insuportável.
Se nada funcionar, apele para um cultivador da internet. Alguns fóruns são bem interessantes.
Segue um site que pode te ajudar:
http://www.vasosdeplantas.com.br/abcpragas.htm
Beijos e muitas flores!

sandrafofinha disse...

muito sinceramente detesto estes bichinhos,morro de medo destas lagartitas. e alem disso são bichinhos muito estupidos,comem as coisas da nossa hortinha que tanto trabalhinho nos deu para semear e plantar. beijinhos e votos de uma bela quarta-feira!!

al disse...

O ataque das minhocas...
Espero que o problema esteja resolvido!
Beijo

Graciete Rietsch disse...

Querida amiga,tenho andado afastada mas só porque estive uns dias fora. Agora temos a FESTA e gostava muito de te encontrar.

Um grande beijo de muita amizade e consideração.

Sara disse...

Uma beleza que destrói outra beleza. A Natureza tem destas coisas aparentemente paradoxais.
Um abraço e boa sorte na erradicação das "walkin' things" :))

São disse...

Detesto estas "cooisas"

Um abraço

Anónimo disse...

Pragas seguidas... e ainda em estado larvar.
E com estes fatos todos iguais confundem-se - ou tentam - com o que é belo e cândido!
Um abraço grande
da bettips

tulipa disse...

Olá

Começo por dizer que detesto "coisas rastejantes"...

Desculpa, mas não pude vir antes.
Estive de férias e fora de Portugal.
Vim dizer que já podes lá passar e ver as novidades que trago.

Beijos.

M. disse...

Quem diria que estes rastejantes equilibristas tivessem sido tão mauzinhos. Parecem tão felizes na sua indiferença. :-)