domingo, 18 de setembro de 2011

Poesia e lucidez


Impressão Digital
Os meus olhos são uns olhos,
e é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos,
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.
Quem diz escolhos, diz flores!
De tudo o mesmo se diz!
Onde uns vêem luto e dores,
uns outros descobrem cores
do mais formoso matriz.
Pelas ruas e estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros gnomos e fadas
num halo resplandescente!!
Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D. Quixote vê gigantes.
Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!
.
(in Movimento Perpétuo, 1956)
.
It's easy to remember, John Coltrane Quartet

30 comentários:

Maria P. disse...

Sempre com bom gosto!

beijinhos:)

Fernando Samuel disse...

Do enorme Gedeão nada mais há a dizer...

Um beijo.

Graciete Rietsch disse...

Excelente. Gedeão e música a condizerem.

Um beijo grande.

Mel de Carvalho disse...

"Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D. Quixote vê gigantes.
Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!"

Ó minha amiga, acredite, eu nem sei mais que vejo ... tem dias :) mas, no geral, vejo um povo que se debela na procura insatisfatória de um caminho, sem que saiba, ou cuide de buscar sabendo, que, para que o pó assente, basta o chão ... e as vontades.
Gedeão! Sempre!

Um beijo daqui
Obrigada
Mel

Duarte disse...

Excelente, em todos os aspectos.
Está claro que vemos aquilo que queremos ver.

Mas escrito a tom
e em verso
tem outro sucesso:
como não!...

Um garnde abraço

Maria disse...

Grande Gedeão, excelente fotografia!

Beijo.

tulipa disse...

Boa tarde

desde as "coisas rastejantes" que não vinha cá;
Gostei de ver as fotos do bacalhoeiro!!!
E...o gato com as peras, belas imagens.

Agora deliciei-me com as palavras do poeta Gedeão!
Obrigada pela partilha.

Ontem foi dia de raid.
Partida:
Posto de Turismo Municipal – Moita
Está sempre de máquina em punho a registar tudo o que o rodeia? Aproveite agora para participar no 6º Raid Fotográfico da Moita e mostre-nos o que a sua objectiva vê sobre o concelho da Moita.

TEMA 1 - “Zona Ribeirinha”
TEMA 2 - “Festas em Honra de Nª Sr.ª da Boa Viagem”
TEMA 3 - “Um Olhar sobre o Quotidiano”
são os três temas que lhe propomos.

A si cabe-lhe apenas captar o que de melhor existe no concelho nestas áreas.
Participe.
Mais informações em
www.cm-moita.pt.

Foi assim que apresentaram o convite para participar no raid.

vovó disse...

tudo é Muito Bom, o Gedeão, o Coltrane... mas a tua foto!! (lembro-me desta "vista", ao vivo e a cores)... É (mesmo) TUA! :) na mosca!
beijocassss
vovómaria

mfc disse...

Vemos com os sentimentos que transportamos na altura...

intimidades disse...

fantastico

Bjinhos
Paula

José M. disse...

Aqui chegado, não escrevo.
Assino "por baixo" tudo o que acima se diz..
Um abraço.Encantado.

Rosa dos Ventos disse...

Como eu gosto deste poema em especial!
Ensina-nos a aceitarmos os nossos caminhos, encontros e desencontros!

Abraço

jrd disse...

Lindo!
E a marca ficou lá,

Lilá(s) disse...

De Gedeão gosto sempre.
Bjs

samuel disse...

Que trio! :-)))

Beijo.

ao lado, acertando os passos disse...

Cada um é seus caminhos, mas há caminhos que se cruzam e, depois, seguem juntos.
E, por vezes, os teus olhos são os meus olhos.
Viste moinhos? moínhos, eu vi!
Viste gigantes? gigantes, eu vi!
(e nas festas do avante nos encontrámos e encontramos)
Ouviste Coltrane? Coltrane, eu ouvi!
Que assim continuem os nossos caminhos, cada um com o seu, acompanhando-se.

Licínia Quitério disse...

Ah grande mestre Gedeão que sabia de caminhos.

E Coltrane, que sempre me dá um arrepio bom.

Beijo, Justine.

OUTONO disse...

...de uma forma simples, escolha perfeita!

Beijinho!

greentea disse...

cada um vê as coisas à sua maneira , cada um tem a sua verdade!

R. disse...

Sublime, incontornável e sempre lúcido Gedeão, que aliava à competência poética o espírito analítico do cientista. Curiosamente tenho tenho andado às voltas com o que por aqui se diz e não me lembrei deste poema... É uma memória feliz que talvez me venha a ser útil nos próximos tempos. Obrigada por isso, caríssima Justine, e um forte abraço.

GR disse...

Com os teus olhos fazes Arte e oferece-nos sempre a melhor poesia.

BJ,

GR

Nilson Barcelli disse...

Eu já só vejo buracos.
Cada vez maiores...
E se os vejo, é porque são mesmo buracos...
E o último é maior que o Curral das Freiras...
Gedeão é um poeta admirável. Boa escolha, portanto-
Beijo, querida amiga.

gatinhadoze disse...

Olá.Quando fores à aldeia faz uma festinha ao Mounty, por mim.

trepadeira disse...

A máquina dos sonhos.
Como precisamos de sonhar,para manter a força,a lucidez,a esperança.
Que bela música,também nos embala os sonhos.
É sempre muito bom reler o Rómulo.

Um abraço,
mário

Clarice disse...

"O que dá pra rir dá pra chorar", conheces?
Tudo depende de onde plantamos os pés e onde pousamos o olhar, o momento, a cor do céu...
Beijos.

Teresa Durães disse...

a verdade de cada um

lino disse...

Lúcido, como sempre.
Beijinhos

O Puma disse...

Boa memória

Bjs

Sofá Amarelo disse...

Os nossos olhos vêem aquilo que querem ver!

Lilá(s) disse...

Olá Justine em relação á sementeira das bagas "gogi" aprendi o seguinte: durante umas horas colocar de molho em água, elas vão inchar e aí sim já podem ser colocadas na terra. Depois de semeadas colocar num local abrigado (eu coloquei na janela da casa de banho) depois de terem cerca de 3cm, transplantei e coloquei no exterior num local de bastante sol, adoram sol!
Bjs