sexta-feira, 15 de março de 2013

O peso dos anos

 
 
 
Mas que terá acontecido a estas árvores,
que cada vez é mais difícil subi-las?
 
 
E manter o equilíbrio cá em cima faz-me tonturas...
 
 
E agora para descer? Ainda vai ser pior...
 
 
Ah Donaminha, olha para mim esmagado sob o peso dos anos!
 

Até me sinto envergonhado...
 por favor ajuda-me a descer e não digas nada ao FazdeDono!
.
 
 
My Funny Valentine, Chet Baker



16 comentários:

João Roque disse...

É triste irmos observando o peso dos anos nos animais que nos são queridos...

Rosa dos Ventos disse...

Como eu te compreendo Mounty!
A Nocas nem já se atreve a subir às árvores!

Ronrons para ti, abraço para a Donatua e também para o Fazdedono

lino disse...

A idade não perdoa a ninguém!
Beijinho

jrd disse...

Ele é mesmo corajoso. Quando vamos idade adentro, homens e gatos, mulheres e gatas, devíamos optar fruir a sombra das árvores em vez de tentar subi-las.

M. disse...

Pois, o peso dos anos, mas olha que a alternativa não é melhor, Mounty...

Graciete Rietsch disse...

Pelas fotos está até muito bem. O passar dos anos é uma inevitabilidade da vida, mas o Mounty tem uns ótimosdonosdele e sempre uma música maravilhosa que ajuda a percorrer o caminho que o tempo impõe.

Um beijo.

Luis Filipe Gomes disse...

O peso dos anos às vezes também magoa e dói até nas tarefas mais simples. Ou então subir árvores nunca foi nem fácil nem simples mas só passado todo este tempo nos apercebemos disso; o Mounty também.

Duarte disse...

Mounty, quem sobe desce, também desce, se começas assim vais acabar mal.
Como corrias na minha frente por aquela escada abaixo!... Bons tempos aqueles... Mounty...
Resiste... como nós.
Querida amiga, um abraço bem forte

faz-de-dono disse...

Não digas nada ao faz-de-dono? Então porquê?... como se eu não tivesse já larga experiência nessa matéria...
De qualquer modo, são mais os olhos carinhosos da tua doninha que as dificuldades que as artroses atrozes te trazem...
Olha, como dizia o outro... aguenta!, que a ele não estamos dispostos a aguentar "bocas" cretinas.
Saudações felinas

OUTONO disse...

Amiga...o que sorri, neste "conto" fabuloso, que o teu "gatudo" protagonizou.
Vá lá, não sorrias...mas olhei-me em outros tempos com mais agilidade também e, agora apenas a madura vida com os enriquecimentos naturais está mais ágil, quem sabe, também pela ligeireza da carteira, cada vez mais com um silvo de vazio sem fim!
Abraço!

Lilá(s) disse...

Por momentos recordei a minha linda gatinha que partiu o verão passado...felizmente o reguila que agora por aqui habita, ajuda muito e compensa bem a saudade.
Bjs

Clarice disse...

Ah, esse arteiro! Como sobem sem temor e depois pedem ajuda.
Belas fotos.
Grande abraço.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sempre senti muita tristeza ao ver os animais que me fizeram companhia envelhecer.
Quando a minha última gata morreu, há dois anos, eu estava longe mas diz-me a minha Mãe que ela sentia a morte e nos últimos dias não abandonava o meu quarto.
beijos

greentea disse...

acontece a todos , Mounty...
há dias tb tive de subir ao escadote para mudar uma lampada fundida e ...gosto pouco lá das alturas !
beijinhos e gostei do comentario do teu fazdedono!

São disse...

rrrss Mounty, meu querido, as árvores são umas mázonas e o tempo um traidor!

Festinhas ronrronadas

bettips disse...

Um colinho... sabia bem... Tanta febre nas alturas jovens!
Bjs