quinta-feira, 30 de maio de 2013

Porto cada vez mais sentido




 
Cada nova visita ao Porto é como um regresso a casa!
Desta vez, apeteceu-me vê-lo do alto da sua torre-mestra,
194 degraus mais perto do céu.
Valeu a pena!
 
 
.
 
Come rain or come shine, Bill Evans Trio
 

 
 

19 comentários:

Pitanga Doce disse...

Não resta a menor dúvida de que é "sempre um regresso à casa". Tu sabes.

Boa tarde, Justine. Por aqui, feriado.

Rosa dos Ventos disse...

Também gosto muito do Porto!
As fotos estão lindas, são fotos "sentidas"!

Abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Aos 9 anos fiquei apaixonado pela Cidade do Porto!
Uma aguarela com a ponte D.Luís e um barco Rabelo entre a névoa ribeirinha atraíram-me definitivamente para o mistério que é o Porto.
Por essa altura vi "Douro, faina fluvial" e vi o "Aniki-Bóbó". Também por essa altura circulava uma maravilhosa nota azul de cem escudos que tinha uma gravura lindíssima da cidade do Porto com a Torre dos Clérigos na distância, esfumando-se na manhã de neblina. No verso estava o Camilo. Um dos poucos livros que havia em minha casa era o "Amor de Perdição" mas por razão que desconheço a sua leitura era-me interdita.

Não conheço o Porto!
Claro que já lá fui algumas vezes.
A primeira vez que lá fui tinha catorze anos fiquei admirado com um bairro de casas ricas que tinha colunas de mármore na entrada e cercas de buxo aparadas formando esferas e pirâmides nos topos onde fazia esquina.
Dessa vez por força da curiosidade na taberna junto à estação das camionetas de Cinfães pedi Tripas. Foi uma desilusão! Afinal as Tripas nada mais eram que dobrada com feijão tal e qual como a minha mãe fazia e quase tão boa como a que ela cozinhava.

Para mim que nasci em Lisboa, o Porto faz parte do meu imaginário e é também casa a que retorno em dias de mistério e de memória como este que me ofereceste.

lino disse...

Belas imagens!
Beijinho

Mar Arável disse...

À sempre uma flor

em todos os jardins

São disse...

Gosto do novo arranjo da casa.

As fotos estão lindas , mas fazem-me pecar: nunca encontrei a Torre dos Clérigos aberta...

Bom serão

Graciete Rietsch disse...

O Porto é a cidade onde nasci e sempre vivi. E é lindíssima, mas hoje muito degradada. Eu e umas amigas costumamos ir algumas vezes almoçar à Ribeira de Gaia e ficamos sempre encantadas com a visão do Porto, do outro lado.
Também já subi à Torre dos Clérigos, há uns bons anos atrás.
Quanto às fotografias, lindíssimas, com música a condizer.

Um beijo.

GR disse...

As lindíssimas fotos retratam o belíssimo Porto. Haverá cidade mais bela que a Cidade Invicta. A cor, o granito, o povo, o Douro, tudo no Porto é perfeito.

GD BJ,

GR

salvoconduto disse...

Valente, eu não os ouso subir desde há alguns anos e não serão assim tão poucos...

Mel de Carvalho disse...

amiga minha, tb eu, brevemente pela invicta :),

beijo grande e o meu carinho
Mel

Lilá(s) disse...

Ando em falta com o Porto, em breve irei fazer-lhe a merecida visita.
Bjs

greentea disse...

pois...as fotos estão lindas mas as recordações que tenho do Porto não são as melhores, não ...

jorge esteves disse...

Quando se chega ao cimo, o esforço é sempre compensado! Mesmo, para quem conhece esse 'olhar o Porto' há muito anos e lhe sabe das 'feridas' que lhe fazem na pele e na alma.
Fizeste umas fotografias muito bonitas!
abraço

jorge
(mas sabes que não é o 'alto mais perto do céu' da cidade?...)

UP(a)Porto disse...

Entretanto... paciência. Porque valeu a pena!
Fico a ver as fotos, a ouvir a música, a contar os degraus...

Duarte disse...

Por aí andamos juntos e aí chegamos em barco, já lá vai quase um ano, como corre o tempo!
Sabes muito bem o quão me atrai esta TERRA, pois nasci a dois passos de tudo isto. Mas aquele era outro Porto, a cidade que sempre amei, que me inspira, que me faz sofrer, sim, amar quase sempre é sofrimento: ou talvez SAUDADE.
Deixo-te um fragmento de "O meu Porto"

"Da serra do Pilar e do Jardim do Morro, observo pormenorizadamente cada ponto, e tento construir o meu puzzle pessoal do Porto: a Ribeira, o Palácio da Bolsa, as casas em anfiteatro até à Torre dos Clérigos, que parece que quer alcançar o céu. Por outro lado, o Barredo, a Sé, os Guindais, as muralhas Fernandinas, as Fontainhas: tudo é cor, tudo é belo, ainda que o Rui Veloso diga que é cinzento, eu digo que é verde e azul. As águas do Douro sarrafadas pela brisa ondulam, cheiram a sável. Fascinas a quem te visita desde este ponto de mira, até pode que seja o melhor cartão de apresentação que tens. Aqui, só ante Ti, sinto-me feliz, radiante: até a suave brisa vem atenuar o que os raios de sol do fim da tarde castigam, por querer ver e sentir, com os tons vermelhos do fim do dia a entrar por mim dentro. "

"In Traçando Caminhos"

Um abraço muito grande, e não deixes nunca de O visitar, amará-lo-ás ainda mais...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estiveste na minha terra? Também cada vez gosto mais dela, mas apesar de ir lá pelo menos duas vezes por mês, não tenho podido desfrutá-la (:-

anamar disse...

Vale sempre a pena quando as perninhas ajudam... :))

Beijinho

ONG ALERTA disse...

Que maravilha, beijo Lisette.

João Roque disse...

A minharelação com o Porto é ambígua.
É uma cidade bonita, que sabe receber, onde se come muito bem, mas a maioria dos seus habitantes estão como que metidos num "gueto" onde se sentem muito bem e de onde não desejam sair e têm tendência a denegrir o resto do país, com predominância para sul.
Há um certo complexo em relação a Lisboa e embora não queira misturar situações, o futebol tem algo a ver com isso. A mentalidade do indivíduo que preside ao seu clube mais representativo é um exemplo de tudo o que atrás digo.
Tenho e é preciso que o diga, excelentes amigos no Porto e é sempre com muito agrado que ali vou.