domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um dia de cada vez!


 
 
 
Um dia destes, ao amanhecer, querendo sacudir de dentro de si os fantasmas da noite, ela vagueou pelo jardim procurando mudanças, ouvindo as aves a saudar o dia, respirando fundo. E mais uma vez se deixou maravilhar pela beleza e perfeição de uma vulgar obra que a natureza oferece aos olhos de quem quer ver: admirou a teia perlada de pingos de chuva, levantou a cabeça com determinação e encarou com coragem renovada o dia que começava!
 
.
These foolish things, Charles Mingus
 
 
 
 

8 comentários:

Graça Sampaio disse...

Belíssimo tricot...

Benó disse...

Lindo colar de pérolas. A natureza oferece-nos maravilhas que só quem tem sensibilidade as sabe ver. Parabéns Justine por seres quem és.

Luis Filipe Gomes disse...

O mundo vulgar é uma dádiva.

Majo Dutra disse...

Focar belezas da natureza simples, mas admiráveis,
é hábito de pessoas com sentido estético
e sensibilidade singulares...
Uma semana muito agradável, MJ.
~~~ Beijo ~~~

todos os dias disse...

Que belo! Quase tudo... Só tenho reservas quanto ao título. Tudo o resto merecia mais que "um dia de cada vez"... Talvez "em cada dia uma vida", talvez "uma vida em cada dia". Sei lá... Que todos os dias sejam de vida!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Gostei do poema em prosa. Maravilhoso. Abraço fraterno. Laerte.

Clarice disse...

Os olhos de minha memória me levaram à minha casa da infância e revi uma enorme teia com orvalho. Sempre fico pasma com elas.

Duarte disse...

Um tecer com arte que sempre me atraiu.
Momento para bem fotografar, como o fizeste.
Beijinhos, amiga.