domingo, 10 de junho de 2018

Orgulho sem preconceitos


 


As rendas do leque bem visíveis,
 o olhar direcionado para a fotógrafa,
 ciente da beleza diferente e especial.
Literalmente pavoneando-se, com orgulho e elegância.

.
Jazz Suite, waltz 2, Shostakovitch

6 comentários:

jrd disse...

Há orgulhos que se justificam e se perdoam.

da efémera idade disse...

Excelente!
Poderias pavonear-te com este post.
Estaria na perfeição das cousas se não fosse tão efémero... como todos os orgulhos.

Graça Sampaio disse...

Belas as imagens; belas as palavras.

Muito bom!

Mar Arável disse...

Não fora os pés
seria uma princesa

Teresa Durães disse...

Estão lindos!

jorge esteves disse...

Jane Austen, com certeza não sabia...
Como disse muito bem o Vasquinho 'estou em branco'; não lhes conhecia a existência. Daí a ignorância a perguntar: será albino?
Seja ou não, lembre-se ele, do cimo do seu orgulho: um dia, sem preconceitos, alguém o vira espanador!...
abraço
jorge