quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Peças de museu



Passam as modas, fica a memória. E a beleza do objecto, forma de perpetuá-la.
.
Armazém das Artes, Alcobaça
.
Serenata nº6, KV 239, Mozart (Munich Symphony Orchestra)

21 comentários:

Maria disse...

Nem sabia que existia esse museu em Alcobaça. Agora vou ter tempo para descobrir isso tudo.
Bom dia!

Beijo.

Rosa dos Ventos disse...

Também não sabia!
Todos os dias aprendemos uns com os outros... :-))
O meu pai usava chapéu e é uma das minhas memórias dele, entre muitas outras!

Abraço

salvoconduto disse...

Parece mais uma armadilha para apanhar pássaros... :))

Lilá(s) disse...

Beleza e elegância!
Bjs

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há um museu de chapelaria, em S. João da Madeira, que também merece uma visita

GR disse...

Até pensava que tinhas visitado S. João da Madeira, também é muito bonito. Mais umas fotos magníficas.

Bjs,

GR

Fernando Samuel disse...

O que a imaginação é capaz de fazer!!!...

Um beijo.

Graciete Rietsch disse...

Não conheço o museu. Mas o post é lino e a música maravilhosa como de costume.

Um beijo.

jrd disse...

Chapéus como 'estes' não há muitos e cabeças como a de Mozart ainda há menos...
Agradeço a visita, volte sempre.
jrd

Sara disse...

Desaparece a funcionalidade original para surgir o fruir estético. Não é uma má troca.:)

Também já me sugeriram uma visita ao Museu da Chapelaria em S. João da Madeira. Se ao menos os dias esticassem...

Um abraço de cá e que tenhas um óptimo fim-de-semana!

Licínia Quitério disse...

Mas que interessante. E a literatura explicativa, que mimo. Em Alcobaça. Não sabia, não.

pinguim disse...

O que tu nos fazes conhecer...
Obrigado pela partilha.

R. disse...

E para quem gosta de chapéus, não deve perder o museu do chapéu em S.João da Madeira. Estes que aqui estão são um 'must'! (E um caracol à boleia de um chapéu é bem original e inteligente ;))

Sofá Amarelo disse...

Felizmente a nova geração está tendo coragem de voltar a usar chapéus à moda antiga, e fazem muito bem, mesmo que misturados com piercings, tatuagens e cabelos "rasta".
Os tempos são novos e pertencem àqueles que têm imaginação e desinibição!

Duarte disse...

Não o conheço. Como progride a minha terra!
Pode ser interesante...

Um grande abraço

al disse...

Deve ser bem interessante essa exposição.
Beijos

mdsol disse...

[Não tenho o número do tlm. Tive medo que estivesses na capital. Estava muito cansada - tinha dormido 3 horas depois de trabalhar 14 horas seguidas. Tinha outra pessoa comigo. Mas... tivesse eu o número teria ligado e tinha ido tomar chá. Ou não imaginas que mal li numa placa Ourém que me lembrei logo? Mas a verdadeira questão é eu não ter ligado que Tomar fica perto de Ourém. Teria preparado as coisas de modo...]

Beijinhos arreliados comigo por não ter feito a ligação senão quando vi a placa!

_))))

augusto, um entre mil disse...

pois, é como as formas antigas para sapatos, que acho uma maravilha...

Arábica disse...

De se lhe tirar o chapéu, Jardineira!! :)

JPD disse...

Tempos em que a dignidade passava muito pela escolha de um certo modelo de chapéu e a elegância do seu porte.

Bjs, Justine

jawaa disse...

O Armazém das Artes é uma beleza só. Como tens muitas visitas, havias de mostrar também aquela porta que me encanta do José Aurélio...

Mas olha que o Mosteiro foi alvo de grandes restauros nos últimos anos, acredita. Acontece é que a humidade logo se instala, certamente os trabalhos não são feitos na melhor ordem.

Sou uma admiradora e assídua visitante (mas não fui este ano aos doces de ovos, ai!) daquela cidade onde sempre desejei viver, vê lá bem!

Abraço