segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Monsaraz - Tempos de ontem

Entrámos pela porta nobre, como se entrássemos numa máquina do tempo




Do outro lado, o silêncio medieval de uma rua de xisto, iluminada pelo último clarão crepuscular




Depois deparamos com os habitantes que, atraídos por uma luz lenta e suave, se dirigem para uma gruta no sopé do castelo. Dizem que, por lá, algo de extraordinário irá acontecer.



Alguns, distraídos, continuam os seus afazeres de sempre. Chegarão atrasados, lamentando a pequenez do tempo.



E nós, quase intrusos, deixámos este lugar de descoberta e surpresas com a certeza calma de que há muitos caminhos para saciar sedes e encontrar a serenidade.

.

Yesterdays, Miles Davies

51 comentários:

Maria disse...

Verdadeiramente poético, este post.
Monsaraz tem uma beleza especial que nunca me canso de ver.

:=)

caminhante-ao-lado-de disse...

Até lá, à gruta no sopé do castelo, fomos. Porque para aí nos encaminhavam os que iamos encontrando como se a caminho fossem.
Passámos ao lado do que seria "o mistério", subimos ao alto das muralhas para ver o Alqueva. Enchemo-nos de Alentejo e espera-nça.
Voltámos ao invés dos que continuavam, estáticos, a caminhar para de onde nós vínhamos.
Foi assim. E foi como tão bem dizes. Confirmo. E assino.

Pitanga Doce disse...

Gosto do Alentejo! Seus cantos e encantos...e do silêncio. Preciso voltar!

corredor de fundo disse...

... na pequenez do tempo...

Rosa dos Ventos disse...

Monsaraz tira-nos a respiração tal é a sua beleza por dentro e de dentro para fora...
Nunca lá estive nesta época mas deve ser interessante!
As fotos são bem indiciadoras dessa descoberta!

Abraço à lareira

R. disse...

Sem dúvida, Justine. E a partilha de bons momentos e de boas sugestões pode revelá-los. Monsaraz é sempre bela. Assim 'ocupada', certamente será mágica.
Um abraço grande e uma óptima semana!

salvoconduto disse...

Por vezes até dá vontade de nos metermos lá dentro e fechar a porta...

pinguim disse...

Parece que o tempo parou ali...(num bom sentido!)

greentea disse...

pensava lá ir no final do ano porque gosto muito dessa aldeia mas mudei de ideias porque alojamentos ... tá tudo esgotado!
Assim , fico-me pela Quinta dos Loridos e os Jardins de Buda, Óbidos , Baleal, tranquilamente...

Anónimo disse...

Justine, estás cada vez melhor na fotografia e também nos comentários das mesmas. Consegues transportar-nos aos sítios. Obrigada, Joana

Jorge Manuel G disse...

Passamos o fim-de-semana no Marvão, Portalegre. Nunca lá tinhamos estado e recomendo vivamente. É como viajar numa máquina do tempo.
(Zambujal também se tornou inesquécivel)

Um abraço desde Vila do Conde.

Jorge

as-nunes disse...

Aguçou-se-me o apetite de voltar ao Alentejo. Monsaraz é, de facto, um sítio de encantamento, de sonho, de ares airosos e históricos.

E como as suas gentes conseguiram povoar o seu/nosso imaginário!

Bom Natal, Justine

jrd disse...

Natal (dos) simples no barro das palavras.
Belíssimo.
Um beijo

intimidades disse...

lindissimo

obrigada pelas fotos

Bjinhos
Paula

carol disse...

Querido Alentejo! Belo em qualquer latitude da sua lonjura e em qualquer época!

JPD disse...

Feliz Natal!
Bjs

Lilá(s) disse...

Que encanto! estás maravilhoso este post!
Bjs

Benó disse...

Feliz Natal, Justine.

Graciete Rietsch disse...

Já estive em Monsaraz com a UPP e achei-a deliciosa de beleza, brancura, paz. As tuas fotografias referentes ao Natal,julgo, mostram-nos uma interessante maneira de comemorar esta época. Fazem-nos reviver o passado.(E eu que não gosto do Natal!!!)
A música ,como sempre,lindíssima e as alavres perfeitas.

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

Na última linha queria dizer palavras.
Mais um beijo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há dois ou três anos estive lá por esta altura e também gostei muito. ( para falar verdade, gosto de Monsaraz em qualquer época do ano...)
Um Feliz Natal ( sem esquecer o Monty, claro... estou curioso para saber as prendas que ele vai receber)

Fernando Samuel disse...

É claro que há muitos caminhos... mas nem todos têm o privilégio de serem assim observados. Muito bonito.

Um beijo.

M. disse...

Eu que tão afastada tenho andado deste teu lugar, venho hoje de propósito deixar-te os meus votos de Bom Natal.
Gostei muitíssimo deste teu post, do texto e das fotografias.
Um beijo

MagyMay disse...

E assim pode viver-se Paz e Amor...

Bom Natal, Justine!

Abraço apertadinho com brilhozinho nos olhos

Idun, a felina disse...

venho deixar votos de FELIZ NATAL, em nome da bicharada do "pequeno jardim".

marradinhas, ronrons

intimidades disse...

e um feliz natal para ti
Bjinhos

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Justinamiga

Vim por cá e gostei. Gosto. E também gosto de Monsaraz, onde um cidadão vulgar, como eu, se perde no meio da História ali plantada. E das estórias que contém.

O Natal está ali mesmo, ao virar da esquina, já se vêem os pastorinhos a caminho de Belém, mais ao longe em seus camelos, Baltazar, Gaspar e Melchior, já cheira a fritos, já está de molho o bacalhau. E Maria, de acordo com as Escrituras, está prestes a dar à luz.

Por isso, desejo-te muito Boas Festas, em meu nome pessoal e no da Minha Travessa do Ferreira. Onde te quero ver... com comentários e (per)seguição; só.

Qjs = queijinhos = beijinhos

BlueVelvet disse...

Lindo, Monsaraz como lindo é todo o Alentejo, que amo.
Procurei por todo o lado mas não encontrei um mail onde pudesse deixar uma mensagem mais pessoal.
Assim, agradeço aqui as suas visitas sempre que escrevi alguma coisa este ano e também os seus desejos de Feliz Natal que retribuo, extensíveis ao gato mais querido da blogosfera- o Mounty, claro. Espero que tenha uma latinha de caviar:))

Um abraço apertado

OUTONO disse...

Um passeio...
Uma poesia...
Um prazer...

Beijinho!

Vieira Calado disse...

Já lá estive.

é bem bonita, a aldeia.

Mas hoje vinha simplesmente
desejar Feliz Natal

para si e os seus.


Saudações natalícias

Licínia Quitério disse...

Terra de encantos, testemunha de um outro tempo que nos observa ainda, misterioso e mudo.

A representação do Natal é fabulosa.

Obrigada pela publicação.

Sara disse...

Belíssima reportagem, Justine, plenamente enquadrada no espírito da época.
E não posso deixar de te agradecer a sempre agradável e estimulante companhia, desejar-te um óptimo Natal e um ano de 2011 pleno daquilo que compõe os teus desenhos.
Beijinhos :)

Nilson Barcelli disse...

Há poesia neste teu belíssimo post.
Querida amiga, desejo-te um Natal muito feliz.
Beijos.

tinta permanente disse...

Tudo quanto de Saúde, Paz e Sabedoria a Vida possa proporcionar.
Da minha parte a Amizade e a Gratidão pela companhia ao longo de todo este tempo.
Abraço amigo do,
tintapermanente

Sofá Amarelo disse...

Tempos de ontem desenhados num tempo que o tempo não apaga e que transporta até aos nosso tempos para que possamos desfrutar do tempo dos tempos de outrora!

Feliz Natal e muitos beijinhos, Justine!

samuel disse...

Post fantástico! Lindo!

Beijo.

Folhetim Cultural disse...

Olá parabéns pelo trabalho e pelo blog. Gostaria que visitasse meu blog que é este: informativofolhetimcultural.blogspot.com
nos siga abraços
Ass: Magno Oliveira

Duarte disse...

Encantos da nossa terra que ainda não conheço.
Gostei do que dizes e do que amostras... excelente contraluz!...

Quero e desejo que estejas bem...

Um grande abraço e a minha amizade

anamar disse...

Os pequenos grandes prazeres desta vida...
Os nossos encantos partilhados.
Beijinhos natalícios
Ana

~pi disse...

eu andei por canas-de-senhorim.

o nome e o não-nome chamaram-me.

o canto medieval do nome.

e depois,

os solares e um senhor de farto bigode que me matou a fome da boca e do olhar.

nenhuma foto, a máquina avariou, era de certeza para fotografar com a alma -

gostei tanto de ver o teu percurso
querida Justine e.. caminhante-ao-lado.... jajaja


beijos GRANDES caminhantes
uma festa a quem sabemos de lés a lés mi au!!! :)

augusto, um entre mil disse...

obrigado pelas imagens.

dixo os meus votos de boa quadra natalícia.

utopia das palavras disse...

Quanta serenidade, nesta terra de quase encanto.

Vontade enorme de chegar!

Beijos

Zélia Guardiano disse...

Justine, minha querida
Esta sua postagem é um lindo presente de Natal, que Papai Noel nenhum seria capaz de inventar!
Maravilha!
fico-lhe muito grata!
Um beijo grande!

ParadoXos disse...

dizes poemas com imagens amiga!!
só pode!!

Festas felizes, deixo
2011 abraços em prosperidade!

:-)

Heduardo


(o miudo)

Teresa Durães disse...

bem bonito!

mdsol disse...

Tudo bonito. A conclusão: soberba.
Beijinhos para os três.

:)))

Belisa disse...

OLá

Que seja tudo do melhor!
Feliz Ano Novo!

Beijos e Abraços

Lilá(s) disse...

Olá
Gostaria de entender...na minha página aparecem actualizações e vejo um belo de um gatarrão1...chego aqui e nada!!! será defeito meu?
beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Justine, querida amiga, como o Natal já lá vai, desejo-te um excelente 2011.
Beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga
,
que as vagas de 2011,
te tragam um mar de saúde e
marés de coisas boas (se possível)
,
conchinhas de amizade,
,
*

bettips disse...

A simplicidade, a beleza. Uma outra forma "de trazer à terra o divino".
Foi bom ver a tua reportagem sensível.

"Ano melhorano nos deixe chegar ao ano", acho que assim diziam os antigos.
Lembrando papoilas e verdes, mando mil abraços para aí!