domingo, 17 de julho de 2011

Feitios...

Ter-se-ia zangado com a sua nuvem, que durante horas dançou graciosamente pelo jardim.
Teria apenas desejado um pouco de solidão luminosa - que até os pirilampos têm direito a dizer "quero estar sozinho".

Qualquer que tenha sido a razão, fui encontrá-lo aconchegado ao rebordo da parede da casa, oferecendo-me a sua individualidade e iluminando, por alguns momentos, a minha noite.
.
Waltz 2, Jazz Suite No.1, D. Shostakovich

33 comentários:

Aurora disse...

Mas que surpresa tão boa...

Rosa dos Ventos disse...

Sorte a tua ...e a do pirilampo!
Um encontro de dois iluminados que me trouxe um sorriso neste cair da noite...:-))
E esta valsinha deliciosa a acompanhar!

Abraço

vovó disse...

Uauuu!!! :))

"uc hug":)...
vovómaria

trepadeira disse...

São uns animais extraordinários,nem precisam de fazer barragens ou plantar monstros pelo cume dos montes.

Também me agradam muito alguns compositores do frio.

Um abraço,
mário

lino disse...

Com que então um luzecu por companhia! Há tantos anos que não vejo um.
Beijinhos

Fernando Samuel disse...

Vale sempre a pena encontrar algo que nos ilumine...

Um beijo.

Lilá(s) disse...

São lindos, este ano também os encontro por aqui, aliás penso que há anos não os via...
Bjs

pinguim disse...

Veio ouvir a valsa...

salvoconduto disse...

Há anos que não os enxergo e agora até davam jeito, poupava-se nas pilhas.

viajante disse...

Esse feitio admirável de fazer poesia nas coisas mais simples.
Linda a conjugação texto/valsa.

O Mounty tb andou "à caça" de belos momentos?

jrd disse...

Que bom, poder ver, ainda, uma luzinha...
:)

sandrafofinha disse...

Eheheh que bonito!! Engraçado seria encontrar uma coisinha destas ao pe de minha casa. No ano passado ainda ca apareceram dois ou três. Mas este ano nada de nada,azar.... Beijinhos e bom inicio de semana querida amiga!!

Alien8 disse...

Há quanto tempo os não vejo!
E também já tinha saudades do Mounty!
Beijos, Justine!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já não me lembrava de os ver mas há dias ( ou melhor... há noites!), na Croácia,fui surpreendido por uma autêntica chusma deles. Um espectáculo fantástico e inesquecível.
E eis como o teu post me leva de regresso às férias e às noites atravessando o Mediterrâneo num veleiro.

por aqui há pirilampos disse...

Do dia 10, num blog que por cá se faz, fui ler:
«(há momentos em que me saltam episódios curiosos da minha vida como pirilampos na estrada para a Terra Fria…). Em 1969 (...) tive a ideia (ora aqui está uma coisa que nunca me faltou, embora com intermitência pirilampa, claro, e maior ainda na sua concretização…)»
Terá a Justine lido isto?
E não seria uma estranha (?!)coincidência que tivesse sido o mesmo pirilampo a acender, a ela e a mim, as ideias, a minha para uma coisa decerto chata mas - desejo-o muito - útil como informação, a ela para esta beleza aí por detrás da caixa das mensagens?
O facto, e assim bi-provado (mesmo que com o mesmo pirilampo), é que não há ideias pirilampas sem pirilampos. Tenho dito!

Saudações e desculpa o mau-jeito

Licínia Quitério disse...

Ah que saudades do bailado dos vaga-lumes! Muito obrigada, Justine, nem tu sabes onde me levaste por essas noites de outro tempo mágico.

Graciete Rietsch disse...

Tão lindo!!!!Texto e música como de costume.
Quando eu era pequena e andava na Escola Primária o meu Pai levava-nos, a mim e aos meus irmãos, a ver os pirilampos junto a um ribeiro que havia perto da nossa casa, em noites quentes de verão. Agora só há casas e as noites quentes são poucas.Uma vantagem, desapareceram os mosquitos.
Mas no Parque Biológico,em Gaia, ainda fazem "a noite dos pirilampos". Eu não costumo ir porque é noite e ando cansada, mas a minha filha Susana vai e fica maravilhada.

Um beijo grande.

mfc disse...

Ao tempo que não encontro um dos pirilampos da minha infância!!

Benó disse...

Por aqui, costumavam aparecer no fim de setembro. Mas há muito que não produzem luz e não se deixam ver.

Duarte disse...

LINDO!

Há dias escrevi assim...

Aquellas luciérnagas
que iluminaban la noche,
era verano!
Es lo que recuerdo
de mi infancia
al ver aquella lucecita
que volaba.
La seguía...
ya que me intrigaba.

Que casualidade!

Abraço-te encantado

augusto, um entre mil disse...

por vezes lembro-me, com saudades, da quinta. agora é um condomínio e nunca quis ir ver.


mas lembro-me por vezes da quinta e logo vem aquele aperto na garganta.

por vezes lembro-me, com saudades, da quinta e das mil luzinhas nas noites de verão.

Pitanga Doce disse...

Ver um vagalume no Rio é como ganhar a sorte grande! Até que me caía bem. Põe-lhe o GPS nas asas e manda-o pra cá.

Bom dia Justine.

greentea disse...

este ano ainda só encontrei um , mas em outros anos bem se passeavam aqui pelo meio das flores !

Jorge Manuel Gomes disse...

Parabéns!

O gosto musical continua apuradíssimo.

Gosto muito de Dmitri Shostakovitch e em particular desta valsa. Belíssima!

Um abraço desde Vila do Conde do Jorge, da Luciana e claro, da Rita.

Jorge Manuel Gomes disse...

Vou ouvir outra vez...e outra...

GR disse...

Nossssssssssaaaaaa!
Nunca tinha visto um PIRILAMPO!
Aumentei a imagem, é um pouquito esquisito!
Só tu consegues ver, o que “quase” já não existe.
Continuo a dizer, a CASA tem magia ou serás tu!

GD BJ,
GR

Sara disse...

Muito bem "apanhado".
E já que estamos numa de analisar prováveis estados de espírito, que pensaria ele do sucesso da sua presença na blogolândia? :)

Clarice disse...

Que flagra!Eles acendem para conquistar, viu?
Enquanto não derrubam todos os verdes ramos, de vez em quando, no verão, aparecem alguns por estas bandas, fazendo a dança do amor. Eu adoro! Quando criança aprendemos a fazê-los saltar colocando-os de barriguinha para cima.
Abraço.

Mar Arável disse...

Belas noites claras

intimidades disse...

adoro pirilampos

ja estive uma vez no meio de uma data deles, e cada um ilumava a noite, parecia que estava no meio de estrelas

ou entao estava apaixonada hehehe

Bjinhos
Paula

samuel disse...

"Elles sont arrivées sur une île
Si loin de son école
Que les lumières de la ville
Sont des lucioles"
(Yves Duteil)

R. disse...

Um encontro privilegiado para ambos :)

Abraço!

jawaa disse...

Achei graça ao teu pirilampo porque tenho uma foto giríssima de uma noite em que a minha nora me chamou porque havia um «alien» numa pedra do jardim. Brilhava uma luz esverdeada mas não se mexia, acho que não acreditou que fosse um pirilampo (luze-cu diria meu pai)!