domingo, 27 de novembro de 2011

Jardim de Outono

O luxo de ter no jardim belas carruagens disfarçadas,
a horta a acautelar a ceia de natal,

e o diospireiro a dizer um adeus colorido antes de adormecer
.
Silêncio e tempo de espera

.
Blue in green, Miles Davies

32 comentários:

R. disse...

Que é também um tempo de sonho e de renovação. Em silêncio, a vida germina e prepara-se para de novo brotar.

Um abraço :)

Graciete Rietsch disse...

Post cheio de beleza e esperança!!!
Não encontro outras palavras.

Um beijo grande.

Maria disse...

As abóboras daqui parecem de decoração... mas são boas!
E por aqui nada de silêncio. É impossível :)))
Mas é tempo de espera. Pelo dia 5!

Beijo.

pinguim disse...

Uma espera serena. tão serena...

Fernando Samuel disse...

É o Outono: belo, trazendo consigo os primeiros sinais do Inverno...

Um beijo.

Rosa dos Ventos disse...

Tempo de espera de tanta coisa que virá a acontecer...ou não!
E a Gata Borralheira vai escolher qual carruagem?
Ou vai tudo para a panela com feijão branco, para acompanhar bacalhau assado com broa?! :-))
Que comentário mais prosaico!

Abraço

que mais? disse...

Silêncio... com um belo som azul sobre um não menos belo som em verde; tempo de espera... enquanto a luta que não espera porque continua, contínua.
A vida numa mensagem que é um contarelo/poema, com "gatas borralheiras" que transformam caleches principescas em abóboras e casam com diospiros que adormecem a juntar mais cores belas aos sons e às palavras certas.
Só. E chega. Porque é tudo.

lino disse...

Que inveja!
Beijinho

mfc disse...

As imagens certas no tempo certo!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Fiquei cá com uma inveja ao ver estas fotos, Justine...

augusto, um entre mil disse...

espero bem que esse jardim não esteja cheio de ratos prontos a tranformarem-se em cavalos...

Anónimo disse...

Jardim de Luxo...simples.
Un encanto.

Abraço



Zé-Viajante

trepadeira disse...

Vamos esperando,com paciência,às vezes desesperada.

Bela horta/jardim.

As abóboras porqueiras são excelentes,até para a saúde.
Por cá faço duas espécies de chouriças com ela,são muito boas.

Um abraço,
mário

Patti disse...

Ai que inveja do teu campo!

Duarte disse...

Quanta beleza!!!
São os valores dum outono bem produtivo...
Um grande abraço, querida amiga.

Pitanga Doce disse...

Eu diria que se depender do pomar, a ceia está garantida. A abóbora para os sonhos, as couves para a bacalhoada. Se não plantaste batata é que é pior, que já não vais a tempo. O bacalhau? "Vá ao Pingo Doce de janeiro a janeiro".

Beijos Justine, em tempo de FADO corrido. "Dar de beber à dor, é o melhor, já dizia a Mariquinhas".

São disse...

Que beleza serena...

Uma semana também serena te desejo

Clarice disse...

Que delícia de espera! Algumas pessoas não entendem como é doce e reconfortante acompanhar o que brota, o que cresce, o que floresce. Morder um tomate que você mesmo cultivou tem um gosto dobrado. Eu espero ansiosamente que as tais abóboras-papaia cresçam na minha hortinha,para saber que sabor tem.
Não consegui adivinhar o que são esses frutos na primeira fotografia.
Que belo espaço tens por aí.
Abração.

Benó disse...

Que belo stand de carruagens disfarçadas à espera das gatas borralheiras e as folhas do diospireiro serão para vestir os cavalos agora disfarçados pelo couval.
Desejo a todos um bom sarau dançante com a tua música, claro.

GR disse...

A nostalgia do Outono.
Lindas fotos.

Gd BJ,

GR

Lilá(s) disse...

Ena, agricultura em pleno! só tive uma abóbora e tenho meia dúzia de couves!!! deve ser do ar do mar, não se desenvolvem...ou então falta de jeito dos agricultores...
Bjs

Silenciosamente ouvindo... disse...

Tão bom possuir esse espaço, mexer
na terra, deitar a semente e depois
colher. Gostei muito de estar aqui.
Bj/Irene

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor

Por aqui os coelhos comem tudo

Bj

jrd disse...

Olá. Que natureza mais viva!

Abraço

M. disse...

A tristeza da música como acompanhamento de uma Natureza também ela de certo modo triste. Mas em "Silêncio e tempo de espera" se vai fazendo a vida.

Sara disse...

Gostei tanto das metáforas! E do olhar que valoriza o que o rodeia, transformando o quotidiano num tesouro.
Beijinho e bom feriado.

anamar disse...

Linda Justine,~que inveja e que saudade desse teu jardim das delícias e que faz as vossas também...

Saudades tenho de ti...
:))

Licínia Quitério disse...

Jardim de fábulas e de milagres sazonais. Lindo!!!

bettips disse...

Luxos de quem VÊ e SENTE a terra.
Um jardim de Outono tão impressionista e de que tanto gosto!
(este regresso possível às coisas básicas, a casa, os lugares de chão)
Bjinho

Clarice disse...

Eu bem que descofiei que fosse um tipo de abóbora, mas a essa distância de vez em quando aparecem frutos tão diferentes, que não me arrisco. rs
Beijo

jawaa disse...

Há tanto tempo te não visitava, já tinha saudades de partilhar as tuas viagens, a tua paz no campo. Limito-me a passar pelo PPP como cão por vinha vindimada, uivo de não ser lobo.
Um abraço

sandrafofinha disse...

Estas fotografias são de tua autoria???? Parabens pelas aboboras que sairam de tua horta,muitos parabens pelas couves que vejo que fizeram as delicias do teu natal e quanto ao diospiro espero que continue vivo para o ano e dê muita fruta para te deliciares. feliz ano 2012 para ti!!