domingo, 26 de fevereiro de 2012

Atitudes

Não baixes a cabeça. Nunca. Nem que seja para te veres reflectido na água. Não percebes que a imagem fica sempre deformada? Nunca baixes a cabeça. Olha para cima, para os braços da árvore vizinha. Ou, se fores capaz, olha mais alto, olha para o céu!
.
Say it (over and over again), John Coltrane Quartet

25 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Que belo texto!!!
Olhar para cima,sempre, e procurar seguir em frente no caminho da luta para encontrar a beleza que tão bem exprimes nos teus"post" e na música que escolhes.

Um beijo grande.

Rosa dos Ventos disse...

Olhemos então para cima!
Também os tenho cá um pouco vergados...vou sussurar-lhes este teu poético e assertivo conselho!:-))

Abraço

R. disse...

Mensagem veemente e alentadora, certeira e muito necessária. A verticalidade é um imperativo. Sobretudo quando pululam os que pretendem impor-se vergando os outros.

É uma mensagem para "repetir uma e outra vez" :) Sem dúvida!

Um forte abraço e os votos de uma semana inteiramente erguida!

Sara disse...

Com certeza. Ainda por cima, com os meus problemas "cervicais", tenho mesmo que manter a "coluna erecta".
Não podemos violentar inpunemente a nossa alma, disse um dia Pasternak. Nem a coluna vertebral, acrescentaria eu. É que isto anda tudo ligado, parece-me :)
Bom domingo.

jrd disse...

Lindo!
E se for de noite, afasta as nuvens e, livre, revê-te nas estrelas.

(Obrigado por tudo o que dizes no bth)

Abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Olhar para cima, para o azul, para o voo dos pássaros e para o sonho.

Muito agradeço as tuas palavras, e a simpatia.

mfc disse...

Uma lição bem importante!
... mas a flor não tem culpa!!

São disse...

Belissimo texto , com uma estupenda lição!! Das flores também gostei.

Que seja agradável o resto do teu domingo, rss

anamar disse...

A verticalidade ajuda à postura física e mental.
Mas, às vezes, quando mais murchos, porque tristes, tomamos a postura da flor como que para jogar á defesa.
Beijo meu, Zé.
Até quando???

lino disse...

Lindo texto e belas flores!
Beijinho

Maria disse...

A flor está triste, é isso...

:(

Pitanga Doce disse...

Ou para a direita, ou esquerda...às vezes há alguém que quer se aproximar e tu não vês. Acontece sabes, ó "menina do Liceu?"

Benó disse...

Um conselho apropriado mas não para a flor, coitada, que é por olhar para baixo que se chama narciso.
É lindo, ele.

Lilá(s) disse...

É tudo uma questão de atitude, mesmo que o seja na linguagem das flores...
Bjs

Clarice disse...

Baixar a cabeça só na hora de receber um afago,

Mas que bela flor, vizinha d'além mar...
Beijos e boa semana.

Mar Arável disse...

Na verdade antes partir

que vergar

Jorge Manuel Gomes disse...

Ter atituda perante a vida que nos rodeia e nos escorre da mão como grãos de areia.

Gostei muito deste "post". E da música então, nem se fala.

Abreijos para a Justine e para o Anónimo (e para o pequenino Diogo),

Jorge

pinguim disse...

Um excelente conselho.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bela metáfora, Justine. Mas se nem com este sol esplendoroso olhamos para cima...

Maria Soares disse...

baixar a cabeça pode ser devastador...

Vítor Fernandes disse...

De um modo geral e até como imagem poética, está bem. Mas como é que posso ver os peixinhos no lago se não baixar a cabeça? o John Coltrane é tão bom! E os jacintos tão bonitos :)

Duarte disse...

Diria que este ano ainda as vejo com mais vigor, será?
Assim é impossível baixar a cabeça!
A luz que vem de cima sempre tem outro tom... mais intenso... sim, hoje foi disparada a primeira "mascletà": um jogo de luzes, tons, estrondos, cheiros, fumos e exclamações...
Um abraço dos grandes, com saudades... muitas.

Belisa disse...

Olá

Beijinhos e estrelas doces...

Vamos lá a ver... disse...

Metáfora com narciso e Coltrane.
Esta Justine!
Que belísimo "post" e mensagem
Mas...
Mas... como hoje (hoje?!) estou do "contra" - e por outras razões - concordo com aquele que dizia que olhar para baixo é o melhor que há quando é para uma criança (um neto,
por exemplo!), e olhar para cima pode ser repugnante se for como gesto de submissão e obediência.

De qualquer modo, repito: bela metáfora.
Vozes, perdão, olhos ao alto!... unidos como os dedos da(s) mão(s)!

Humana disse...

se, neste teu texto, baixar a cabeça pode significar desistência, eu concordo contigo.
dar o (a)braço aos que nos são próximos,olhar o alto com esperança.

beijos, justine