domingo, 13 de outubro de 2013

Serenidades


Manhã cedo o parque veste-se de névoas leitosas,
 que transformam o ambiente numa espécie de realidade intocável.
 A beleza e a paz envolvente transmitem-me uma serenidade desconhecida, inquietante, quase dolorosa.
Fico quieta, a ouvir o silêncio, até que algum pássaro ou voz humana me desperte…
 
.
 Sonate Op13, Beethoven
 

13 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

as neblinas são redomas que nos encerram dentro de nós e onde às vezes nos descobrimos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As neblinas por vezes são inspiradoras e dão tranquilidade. Digo-te eu, que não gosto de dias cinzentos na cidade. Mas com uma paisagem dessas coo pano de fundo, é outra coisa...

Pitanga Doce disse...

É verdade. Essa serenidade toda, por vezes dá medo e causa uma dor também desconhecida como se mais nada pudesse acontecer para nós.

Bom final de domingo. Aqui ainda falta.

beijos

jrd disse...

As manhãs que cantam hoje a serenidade dos amanhãs que virão.

Graciete Rietsch disse...

Simplesmente lindo!
Um beijo grande.

alfacinha disse...

Descrição bela duma Manhã De névoa
a musica aperfeiçoa as palavras romanticas
abraço

Mar Arável disse...

Por vezes faz bem fechar os olhos

mas só nos apeadeiros do silêncio

Bjs

greentea disse...

sim , uma serenidade inquietante nesses momentos em que apenas se ouve o silencio ...

uma voz humana disse...

... só faltava o Beethoven. Ficou perfeito! São as serenas idades

... ou seriam se os senhores das finanças o permitissem. Assim, à serenidade tem de se juntar (ou continuar) a luta!
Assim será.

Rosa dos Ventos disse...

Deliciosamente nostálgica!

Abraço

Duarte disse...

Que bonito!!!...
Quanta serenidade nas tua palavras, que paz.
Tu pronuncio, uma delicia para os sentidos. Gosto, noto que tudo está impregnado de nostalgia... belo!
Abraço-te, forte!

GR disse...

Por vezes o som do silêncio é necessário.
Belíssima foto.

BJS,

GR

Lilá(s) disse...

Adoro esses momentos! são tão nossos, e a paisagem convida.
Bjs