segunda-feira, 3 de março de 2014

Poesia perturbante


 
Amei as desaparições e agora o último rosto saiu de mim.
 
Atravessei as cortinas brancas:
 
já só há luz dentro dos meus olhos.
.
(in Oração Fria, Antonio Gamoneda, pag.213, Assírio & Alvim)
 
(tradução João Moita)
.
(Foto PG.)
.
 
.
Trincheras/Decadence, Alberto Iglesias, London Session Orchestra
 
 



9 comentários:

jrd disse...

"Eyes wide shut".

anamar disse...

Beijinhos
:)

Mar Arável disse...


... e já é tanto...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Perturbante mesmo...

Paula Rodrigues disse...

lindissimo

bjinhos
Paula

João Roque disse...

Profundo e transparente, simultâneamente.

São disse...

Desconhecia o autor.

A música de fundo condiz na perfeição com o texto...

Bom serão

Lilá(s) disse...

Perturbante, digo eu também!
Bjs

Duarte disse...

A música ideal para digerir este texto.
Recordou-me o titulo dum livro "Quando as cortinas estavam corridas", sim, "PERTURBANTE"!
Um abraço grande