domingo, 17 de agosto de 2014

Sons e silêncios num dia de verão

  

De repente, o silêncio perfeito. O vento que faz cair uma folha seca da nespereira. Um besouro que procura insistentemente um lugar seguro no alpendre para fazer o ninho. Uma abelha, num bzzz muito suave, vem visitar a minha perna nua. E o concerto harmonioso dos pássaros. Distingo três melodias, mas só identifico a das andorinhas, uma conversa constante e quase compreensível.
As outras, é um canto muito belo, quase assobio humano de alegria, e há ainda um chamamento persistente, urgente. Preciso de identificar estes cantos, preciso de os nomear para os sentir mais meus.
Aos meus pés, o meu gato adormecido sonha com ratos e cobras e gafanhotos.
Por um momento, um momento apenas,  perco-me no mais longínquo dos paraísos, na mais próxima das Pasárgadas...
 
.
Come rain or come shine, Bill Evans Trio
 
 

16 comentários:

João Roque disse...

Eu também me perco, mas é nas recordações e principalmente nas saudades.

samuel disse...

A "outra" disse que, já que vamos ser pó, cinza e nada... é preciso a gente saber perder-se para se encontrar… :-)
Tinha razão.
Beijo.

Rosa dos Ventos disse...

Lindo!
Lá também serias amiga do rei! :)

Abraço

Anónimo disse...

O Paraíso é onde
TE ENCONTRAS.
Tu mesma e o ar. Limpo.
Bj da bettips

anamar disse...

beijinho e boa semana.

:)

Benó disse...

Perdida no silêncio para te encontrares a ti mesma. Gostei de te ler.
Uma boa semana.

Graciete Rietsch disse...

Não sei que dizer mais. Apenas que é um texto lindíssimo que sugere Nautreza, Paz, um momentâneo esquecimento também dos horrores do tempo que vivemos.
A música ajuda.
Um beijo grande.

no teu silêncio disse...

Belo texto! Bela música. Tranquilidade e um gato.

Mas não me canso de lembrar que a Pasárgada do Manuel Bandeira não é um lugar de fuga é um tempo de refúgio. De ir e voltar.

São disse...

Um texto muito intimista, muito bonito e que ma agradou muito, porque também gosto de ouvir o silêncio!

Feliz semana

Paula Rodrigues disse...

lindo

Bjinhos
Paula

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também gosto de me perder nesses silêncios. Muitas vezes, é lá que me reencontro.

greentea disse...

há momentos assim , em q nos perdemos para nos (re)encontrarmos

jrd disse...

Perfeito!
Como o silêncio e o sonho do gato "na cama que escolheu".
:)

Duarte disse...

O calor apazigua os impetus e chega o recolhimento na busca duma frincha de frescura.
Estou quase assado...
Abraços de saudade

GR disse...

E é neste silêncio que escreves tão belas palavras, pura poesia.

Gd BJ,

GR

Clarice disse...

Uau! Há momentos perfeitos. Alguns tem a consciência deles e conhece o que é paz, como se fosse um cristal. Dura pra sempre dentro de si, mesmo quando a realidade quebra o silêncio.
Belo texto.
Abraço.