terça-feira, 10 de novembro de 2009

Escultura a várias mãos


Vitória de Samotrácia sem asas, mas com raízes?
Venus de Milo sem cabeça, mas com seiva?
Atena ou Afrodite, é deusa que a natureza criou .
E o homem deformou.
.
Bizet, Adagietto de L'arlésienne Suite nº1
.

41 comentários:

mena m. disse...

A Natureza tem destas coisas, Justine!

Com um porte tão altivo e tão distinto, será no mínimo alguma princesa ou raínha.

Lindas as cores!
Beijinho

pinguim disse...

A Imaginação tem a palavra...

Maria disse...

Bela, a tua escultura.
Bom dia, Justine!

eu, que... disse...

Excelente! E surpresa...
Eu, que tenho a bem-aventurança (tinha escrito o privilégio... mas não gostei!) de te acompanhar nos passeios pelas veredas dos nossos sítios e que contigo parei a admirar e a comentar a "escultura", eu, que te ouvi "na próxima trago a máquina" e te ajudei a escolher os melhores "angulos", eu, aqui bem pertinho, te sei no tricotar destas mensagens... fui surpreendido. Pela beleza, pelo talvez mais belo de tantos "trios" - foto, legenda, som - que por este canto estão deixados.
Bom, eu, que sou suspeito (e por tantas razões, como a de conhecer muito bem a árvore...), dou-te os parabéns.

Carla disse...

altiva esta obra de arte que o teu olhar captou
beijos

Violeta disse...

Escultura às mãos da natureza... bela!!!
bjs

~pi disse...

incrível-belo,

[belo-de-incrível,,,



beijo,saudades:)




~

as-nunes disse...

A beleza sugestiva, aliada ao sinistro do fim de muitas das nossas árvores...
O aproveitamento magnífico da fotografia que possa servir de lenitivo para a insensibilidade do Homem.

tulipa disse...

BELA ESCULTURA!

«Se usasse um dos seus filhos para salvar outro, estaria a ser uma boa mãe... ou uma péssima mãe?»

Se dependesse de nós salvar um familiar próximo, que tanto amamos, não hesitaríamos em doar sangue, medula, até um rim... mas essa seria uma escolha nossa, não seria a escolha que outros fariam por nós.
Anna, a protagonista desta história, sente-se dividida entre ajudar a irmã que está a morrer e as dúvidas sobre a sua própria existência nesta família visto que foi gerada com o fim de salvar a irmã a quem foi diagnosticada uma forma grave de leucemia.
Mais um filme que aborda um assunto polémico e emocionalmente perturbante, que nos prende até ao último minuto do filme.

Rosa dos Ventos disse...

Sabes que chorei de emoção quando vi pela primeira vez a Vitória de Samotrácia?
A natureza está sempre a surpreender-nos, assim estejamos atentos!

Abraço

O Puma disse...

Bela escrita

a quatro mãos

intimidades disse...

A natureza e arte perfeita, e pura

Espero que tenhas tido um bom dia :)

Jokas
Paula

Rosa dos Ventos disse...

Estive há pouco a consultar no Borda D´Água o mês de Novembro e lá encontrei esta deliciosa quadra de António Aleixo,esse excelente poeta popular, e que se aplica bem à tua obra de arte.

Só a Arte tem o poder
De a todos nós transmitir
O que todos podem ver,
Mas poucos podem sentir.


Abraço

JPD disse...

Belíssimo!

Duarte disse...

Estrutura quase humana, que tu tão bem soubeste recrear.
A isto também se lhe deve chamar arte!

Um grande abraço

Fernando Samuel disse...

Belo!

Um beijo.

meus instantes e momentos disse...

a natureza dá, a imaginação voa...
Maurizio

jawaa disse...

Que bonita escultura da natureza!

Benó disse...

É a saber VER a natureza que se aprende a amar a vida.Ao olhar para o que resta dessa árvore que já teve vida, que certamente deu abrigo a muito pássaros e sombra a viajantes, quem sabe se alimentação também, a minha imaginação pergunta o que quererá significar este cepo?
Deixo-te com um abraço.

MagyMay disse...

Uma Deusa, uma natural(mente) Deusa...

Parabéns pelo teu olhar sublime, Justine
(vês como sublime rima com Justine!?)

aguacateyfresas disse...

Maravilhosa, beijos!

Lúcia disse...

Que bonita! E renova-se em novas formas, a natureza..._)

Luis F disse...

Excelente partilha e uma imagem muito interessante.

Os meus parabéns e agradeço o momento que aqui passei.

Bj
Luis

com senso disse...

A natureza tem destas coisas. Surpreende-nos sempre e sempre da melhor forma.
A não ser que faça rolar um pedragulho para cima das nossas cabeças... E será então a nossa maior e última surpresa.
Mas esta mão invisivel, que com õ tempo vai dando formas que encaixam na nossa imaginação são sem dúvida algo de muito bom que nos faz sentir agradecidos por estarmos vivos!
Um beijinho

bettips disse...

Em tudo,
e na natureza mais,
encontramos sentido.
O poema, a vitória, a mulher, a tentação dos deuses.
Bjinhos

Lilá(s) disse...

Bela a imagem! fabulosa a música!
Bjs

utopia das palavras disse...

Não deixa de ser natureza, deusa, tronco, mulher, ou arvore triste!

beijo

intimidades disse...

hahaha mudo ja de posicao

bem esta uma chuvada e trovoada la fora, o melhor e ficar dentro de casa hoje hehe

Jokas
Paula

legivel disse...

... para o que lhe havia de dar! ao Homem, claro. Não se contentou em amputá-la dos membros superiores, de lhe cortar cerce a cabeça (lembro-lhe os cabelos louros e o sorriso ingénuamente provocante) pois ainda se deu ao desplante de a deixar como veio ao mundo para horror dos olhares mais conservadores.
Onde raio é que ele meteu aquela saia alva que esvoaçava, esvoaçava, deixando apenas ver o que se vê e mais o que a imaginação permite, de quem fez (e continua a fazer) as delícias de cinéfilos de todo o mundo?

Nilson Barcelli disse...

Inclino-me para a Vénus de Milo.
Mas qualquer das tuas hipóteses é boa...
Querida amiga, bom resto de semana.
Beijos.

Arabica disse...

Há deformações muito belas, Justine!
Seiva pura nas mãos que tão bem a trabalharam!

Beijinhos

GR disse...

Lindo!
Tem a beleza de um corpo de Mulher!

Bjs,

GR

Fa menor disse...

Realmente!
Há belas esculturas que nem a propósito!

Bjinhos

Bom fim de semana

M. disse...

Que bonito, Justine! De grande sensibilidade e estética este "abraço" de palavras, fotografia e música. Ganhei o resto do dia vindo aqui hoje!

ParadoXos disse...

vê-nos alada sem abraços mas com alma do lado de dentro!



beijo maior
pra ti
estimada Magnânima amiga, sempre presente mesmo nas minhas ausências!

Belisa disse...

Olá
esta foto está espectacular! e a fotógrafa também captou um ângulo magnífico. Coisas da natureza.
Bom fim de semana
Beijos estrelados

Luis Filipe Gomes disse...

Os golpes que não nos abatem não nos tornam mais fortes.
Marcam-nos profundamente e deformam-nos, como a poda nas árvores.
(Tinha escrito isto no meu blog há algum tempo.)

Alien8 disse...

O texto está perfeitamente à altura da foto.

A foto está perfeitamente à altura do texto.

E ambos estão excelentes.

Bom domingo!

Humana disse...

mesmo mutilada por mãos humanas, mantém a sua beleza, a sua imponência.
muito poderíamos aprender com as árvores.

um grande abraço, justine

Henrique Dória disse...

ESculltura do tempo, esse grande escultor. Belíssima

BlueVelvet disse...

Lamentavelmente onde o homem põe a mão, raramente é para melhorar.
Bjs