domingo, 12 de janeiro de 2014

A estratégia da aranha


A rendeira é minha conhecida de há tempos:
 gorda, escura, deselegante, antipática.
Não gosto dela, mas começo a desconfiar que ela gosta de mim...
Que outra razão poderia haver para que estas rendas - equilíbrio precário de luz e seda, exibição inverosímil de perícia e sabedoria -
me sejam deixadas à porta todas as manhãs,
senão a de serem um discreto pedido de amizade?
Acho que vou deixar enre(n)dar-me!
 
 
(PpP)
 
.
Sweet and lovely, Thelonious Monk/John Coltrane at Carnegie Hall
 
 

17 comentários:

aranhakiller disse...

A obra, não o artífice!
Mas... sem o artífice não haveria a obra.

(depois não me chames para ir matar as aranhas!)

Benó disse...

São obreiras habilidosas e persistentes mas quero-as bem longe. Por isso, o meu conselho: Não te deixes aranhar. Boa semana.

jrd disse...

Nem todos entendem o subtil encanto das aranhas.
Deixa-te enre(n)dar que não te arrependerás.

Luis Filipe Gomes disse...

Gosto muito das suas teias.

Rosa dos Ventos disse...

Fazes bem!
Esta rendeira pode ser feia mas não oferece perigo para ti!
As moscas que se acautelem!
Passam logo a moscas mortas!:)
A foto está um assombro!

Abraço

Pitanga Doce disse...

Até para ser aranha é preciso talento. Que beleza de renda! Quanto a aceitares o pedido de amizade...sei não.

beijos Justine.

João Roque disse...

Vou fugir ao tema e cingir-me ao título: fez-me recordar um belo filme que vi há muito, muito tempo, salvo erro do Bertolucci...

Graciete Rietsch disse...

Como consegues fazer-nos ter alguma simpatia pelas aranhas!!!! Não sei porquê mas, apesar de saber da sua função indispensável na Natureza, sinto uma certa repugnância por esses animais. Das teias,mortíferas para as pobres moscas que também têm a sua tarefa a desempenhar,eu gosto.
E das aranhas, depois deste post, acho que fiquei a tolerá-las um bocadinho mais.

Um beijo.

São disse...

Talvez seja mesmo uma oferta de amizade, pelo menos as teias são lindas e com gotas de chuva ainda mais...

Bons sonhos, rrss

lino disse...

Tempos houve em que as tinha todos os dias no retrovisor direito e não gostava nada.
Beijinho

Mar Arável disse...

Há teias e teias

a tricotar
Bjs

Anónimo disse...

Belíssima renda da Dona Natureza.
A minha admiração pela arte da fotógrafa.

Campaniça

Lilá(s) disse...

Bem! essa é mesmo uma obra de arte! as aranhas do teu quintal são um espanto a trabalhar.
Bjs

Paula Rodrigues disse...

fantastica obra da natureza

Jinhos
Paula

greentea disse...

pois, são feias , gordas , horriveis mas o seu trabalho é o máximo! vale a pena a foto antes de limpar com a vassoura e ficar a ouvir a tua música...bjs

Duarte disse...

Fazes bem, deixa-te enre(n)dar, ante uma obra artesanal como essa há que render-se.
Excelente contraluz!
Essa teia é o seu território de caça. Persistirá na sua construção. Admira-me a arte com que o elaboram!
Aquele abraço amigo

al disse...

Que renda linda. Pelo tamanho da 'cortina', as agulhas devem ser enormes... mas eu também não resistiria a um convite desses.
Beijinhos para vós,
Ana Luísa