sábado, 21 de março de 2015

Sinto Frio



Sinto frio e estranho-me.

Vejo o sol e tenho frio.

Um frio que me ficou de há muito, de um
tempo finito de encostas soalheiras,
de campaínhas azuis, de morangos maduros.

É um frio opaco, de despedidas e desilusões,
de cumes gelados, de abraços esquecidos
nos jardins da infância.

Um frio de animais abandonados nas bermas,
e quem diz animais diz irmãos, amigos,
expostos à devora, à avidez da nova selva
que não tem fim, não tem fim.
.
(in O Livro dos Cansaços, Licínia Quitério)
.

Comme une absence, Anouar Brahem

13 comentários:

Isabel Lourenço disse...

Um frio, que nos trespassa ,pela a incerteza da vida!

São disse...

Abraço ...e esperança

lino disse...

Só as fontes do nosso desespero têm calor. Bom fim de semana!
Beijinho

Lilá(s) disse...

Eu sinto frio, sinto saudades, sinto medo...
Bjs

jrd disse...

Um frio antigo e frio que nos vai roubando o calor.

João Roque disse...

A foto é dos meus "mundos". Dos frios que eu tão bem conheço e de que tanto gosto...

jorge esteves disse...

Ajeito-me ao frio, afoito-me ao sol, estranhar, estranhar, estranho a chuva...
abraço!

jorgesteves
www.tintapermanente.pt

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Partilho do mesmo mal, Justine. Hoje o dia ainda manheceu agradável, mas depois levantou-seo vento e está de gelar.
Diz a meteorologia que para o final da semana vamos aquecer.
Boa semana

Luis Filipe Gomes disse...

gostei do poema da Licínia Quitério!

anamar disse...

Licínia e eu com frio continuamos nesta Primavera desgarrada.

Abracinho

Duarte disse...

Imagens que dão frio. Também tenho frio!
Por fim choveu, para molhar a festa, mas a FESTA seguiu!
Abraços de vida

Anónimo disse...

Este frio que nem a palavra aquece...
Bj
da bettips

Luis Filipe Gomes disse...

Acabei por encomendar o livro à Licínia, e já o tenho. Aproveito para te agradecer teres feito aqui a sua apresentação.