terça-feira, 8 de julho de 2008

Equilíbrio (im) possível

Algarve metodicamente maltratado, possuído com ganância e destruído com frieza, até o mar ser obrigado a encolher-se ao fundo, expulso e envergonhado. Algarve cansado, obeso de carros e de construções, obeso de gente obesa.


Como contraponto à ruptura dos locais e em movimentos de sobrevivência, as aves humanizam-se: os pardais em intimidade descarada exigem-nos algumas migalhas, as gaivotas refrescam-se na piscina do condomínio e nidificam todos os anos nas mesmas açoteias. Como que a julgarem os homens e os seus erros.

Equilíbrio (im) possível.

35 comentários:

Carla disse...

parece mesmo impossível esse equilíbrio!
belas imagens as tuas
beijos

poesianopopular disse...

Tudo isto se deve á tal política de rapina, que para, os pouco exigentes dá a noção de sucesso, e que para os mais exigentes, não passa de uma falta de respeito para com a Naureza, e pelas regras, de uma boa qualidade de vida!
É um fartar vilanagem!

Duarte disse...

Tantos telhados, donde estão aquelas chaminés tão castiças do nosso Algarve?
As gaivotas deixaram a fome do mar e converteram-se em cidadãs. A gente também deixou as aldeias para buscar o bem estar nas grandes urbes.
Assim é, no Porto passa o mesmo, os telhados da Ordem da Trindade e o jardim confinante; parece um fragmento dos pássaros de Alfred Hitchcock.
Como as andorinhas!!!
Estiveste bem e foste feliz, isso é o que importa.
Beijinhos

Rosa dos Ventos disse...

Estou a rever tudo pelos teus olhos!
Também captei algumas singularidades que talvez venha a postar...


Abraço

Lúcia disse...

Justine: Falas num dos grandes problemas do nosso país o (Des)ordenamento do território. No Algarve, então, à conta dos interesses comerciais e especulativos, esta história tem anos. E é de lamentar. E nunca é demais falar nisso. Porque a consciência dos problemas é o melhor combate. É que ainda é possível fazer pior! É bom que não se chegue lá.
Beijinhos

pinguim disse...

Já não ia ao Algarve há uns tempos, e quando agora ali passei 3 dias pude ver o suficiente para te dar razão.
Beijinhos.

algarvio por uns dias disse...

Excelentes textos-síntese.
Fazendo graça diria que... seria incapaz de dizer melhor o que tive a felicidade de ver acompanhado por quem tão bem o soube contar.
Mas como dizem que elogio em boca própria (ou quase...) é vitupério por aqui me calo.

Fernando Samuel disse...

Mais uma vez, um belíssimo texto complementado por belíssimas fotos - ou vice-versa...

Um beijo amigo.

alternativa pérola disse...

Então lá temos mais casas...
Mas há outro algarve, que eu sei que há...
Este, já não o conheço bem, porque a não ser em trabalho fujo dele.
A última vez que lá estive em ócio, foi em Moncarrapacho. Apesar dum calor infernal ainda é uma delícia para os olhps. Mesmo as coisas recentes são mais cuidadas.
"Fora de época" hei-de ir conhecer outras zonas, com coisas belas.
Que eu sei há...
Um abraço

alternativa pérola disse...

Então lá temos mais casas...
Mas há outro algarve, que eu sei que há...
Este, já não o conheço bem, porque a não ser em trabalho fujo dele.
A última vez que lá estive em ócio, foi em Moncarrapacho. Apesar dum calor infernal ainda é uma delícia para os olhps. Mesmo as coisas recentes são mais cuidadas.
"Fora de época" hei-de ir conhecer outras zonas, com coisas belas.
Que eu sei há...
Um abraço

Maria disse...

Eu sei porque é que não vou ao Algarve.... :)
... mas é uma pena, pois o Algarve tem zonas muito bonitas. Só me apanham lá de Inverno (às vezes).
Gostei das fotos e do texto.

Um beijo

jasmimdomeuquintal disse...

Porém o teu olhar é diferente, consegue ver mais além... e isso faz a diferença.

samuel disse...

Bela combinação!
De imagens e texto, quero dizer, mas também podia ser como no boxe, a combinação de golpes certeiros que este post aplica nos queixos dos nossos promotores urbanísticos e turísticos.

Abreijos

mdsol disse...

Linda justine: É tudo bonito. E faz pensar!
Beijinho
:)

mariam disse...

grande "post"
pois... e algumas ementas apenas em inglês!?
triste....

boa semana
um sorriso:)

PS.Obrigada!

heretico disse...

"obeso de gente obesa..." - feliz síntese!

(os pássaros acabarão por desaparecer. mais dia menos dia...)

excelente.

Sal disse...

Regresso a casa sem gaivotas mas com gato à espera... que bom.

Algarve também é doce e meigo quando silencioso e vazio - o verão não é a melhor época para lá ir, definitivamente.

E adorei o teu texto, sua poetisa blogosférica!
:))

beijinhos muitos, e festas ao bichano!

Chalana disse...

Eles comem tudo e não deixam nada

mena m. disse...

As aves vão reivindicando aos poucos o seu território...
Time Sharing no mínimo!

Excelente post, belas fotos!

Que diz o Mounty disso tudo?

um Ar de disse...

Cada vez "há mais gaivotas em terra"...
.
Não pelas mesmas razões de há uns 20 anos atrás, certamente.
.
Até no Porto, já nidificam em sítios distantes do mar...
.
Modificam a paisagem urbana.
Dá que pensar, claro que dá.
.
[Beijo.......)

DelfimPeixoto disse...

Um desequilibrio equilibrado, por força da Natureza

Fernando Rozano disse...

teu post é uma consciência essencial, aos poucos ou muito rapidamente a Natureza, os lugares que são nossas marcas e referências estão ou sendo abandonados ou destruídos. nosso equilíbrio está intimamente entrelaçado ao equilíbrio da Natureza, pena o Homem estar perdendo o seu equilíbrio. abraços.

bettips disse...

A decência doente.
Excelente a síntese dum presente/futuro que já nos custa a imaginar (de longe). A gaivota olha assim o mar recuado... os pardais atrevem-se nas mesas ...há aqui algo de lúgubre e esfomeado ...apesar dos obesos, os ganânciosos e os "assim-assim".
Ah..um dia se acorda para a relva e os ramos, e as flores do cactos, e os quadradinhos abandonados mas "vivos"!!!
Um beijinho

Pitanga Doce disse...

É assim Justine. Empurram o mar bem empurradinho. Depois, quando chega o Inverno ele vem e avaaaança por terra a dentro. Aí chamam os Ministros e "nãseique" pra fazerem queixas e pedem indenizações.
É o quê se vê todos os anos.

beijinhos e aproveita o Sol que é de graça. hehe

Tinta Azul disse...

No entanto, equilíbrios.
beijo

GR disse...

Um registo fotográfico, fantástico.
A tua prosa é uma belíssima poesia.

Bjs,

GR

Fa menor disse...

Um cheirinho de férias...
para fazer inveja!

beijinhos

bettips disse...

Hoje (sem copiar nada... que nem sei) os meus coment. começam por dizer ..."Ah...o tempo de vos ver, ler, saudar, sentir a todos os amigos, de prosa e olhar, alguns já com sentimentos bem conhecidos...O tempo curto de gastar o gostar..."
Bjinhos a vós

João Videira Santos disse...

A crueza da realidade, o fascinio das aves...Triste verdade de uma natureza mal tratada...

~pi disse...

o algarve mais dentro

ainda tão lindo...




~

APC disse...

Mas que apontamento!...
E as imagens, mesmo, mesmo bem!

jawaa disse...

Já nem lembro quando fui ao Algarve!
A verdade é que ali se foi adulterando tudo o que conheci e... perdi a paz que procurava.
Até as águas, parece que mais frias, no Barlavento pelo menos.. ou eu menos quente?
Pois este ano vou mergulhar - é isso: mergulhar num mar à minha medida, para poder estar dentro de água se não 24 horas... pelo menos 20, já que não dá para dormir nela!
Beijinho, também ao Mounty

M. disse...

No título está o aperitivo para o resto da refeição que nos serves... Belo o modo como falas deste assunto.

Vieira Calado disse...

O Algarve que eu conheci, e que é hoje.
Betão. Turistas que já não conseguem ser turistas como os primeiros. Hoteleiros e afins que se desumanizaram, buscando apenas o lucro fácil e impingindo um Algarve que é apenas deles e dos Belmiros e dos pato-bravos.
Cumprimentos

Colheita63 (HB) disse...

A foto do passarinho na cadeira , é no Borda d'Agua na Praia da Oura . Este ano não fui lá , mas já lá fui muito feliz..