quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Pensão Familiar



Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar os gomilhos que murcharam.
Os girassóis
amarelo!
resistem.
E as dálias, rechonchudas, plebeias, dominicais.
Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçon de restaurante-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.
(Manuel Bandeira)

22 comentários:

o-que-faz-de-dono-de-gato disse...

... até nas pensõezinhas burguesas os gatos são aristocratas, ou aristochats como diriam os ingleses (que falam francês, claro).

Que bem achado "conjunto"!

GR disse...

Um magnifico poema, para umas fotos brilhantes.

Bjs,

GR

BlueVelvet disse...

Espectáculo!
Estou mesmo a ver o felino andar...
Veludinhos azuis

Maria disse...

É com certeza do hora e do cansaço, mas pareceu-me ver um gatito a mexer na janela. É um aviso para me ir deitar...
O poema é muito engraçado, e eu não conhecia este...
As fotos, bem, as fotos são... tuas...

mena m. disse...

Criatura educada é outra coisa...comentam as comadres à janela!

Deciciosos as fotos, o poema e a tua doçura pelos gatos!

1/4 de Fada disse...

Sou louca por Manuel Bandeira! E que gatos maravilhosos, os da poesia e os das fotografias...

Carla disse...

adorei ler...enquanto admirava as belas fotos
beijos

M. disse...

Lindo, este jardim à beira de uma pensão familiar. Sorte a desta família! E o poema é delicioso.

poesianopopular disse...

o gato da madame
Não como sardinha,porque tem espinha, bebe uísque,nem parece um gato, foge arrepiado apavorado, quando vê um rato, anda de unhas pintadas nem parece um gato!
...E, o resto? a idade não perdôa, minha amiga.
Gostei!
Abraço

Fernando Samuel disse...

Postas as coisas neste jeito tão bonitinho, é de certeza a única criatura fina na pensãozinha burguesa...

Um beijo.

salvoconduto disse...

Porque é que os gatos quando mijam sacodem a pata? Serão assim tão desastrados?

mdsol disse...

OLha olha... também gostas do Manuel Bandeira... vlaro que gostei de ler e ver.
Beijinhos
:)

pinguim disse...

Que bom lembrares o grande Manuel Bandeira aqui; e ainda por cima num singelo poema sobre o animal que mais gosto: o gato!
Beijinho.

mariam disse...

excelente o conjunto das palavras e imagens... (só não gosto muito de grades nas janelas)... o jardim é belíssimo... e os Srs Gatos posaram magníficos para a posteridade!
o poema, não conhecia, adorei! só me fez lembrar os tiques de certa "nata" dita de "social" LOL

fique bem.

o meu "dolce fare niente" começa amanhã ~~~~

um grande sorriso :)

Lúcia disse...

Estas descrições do M Bandeira... Deliciosas.
Beijos

jasmimdomeuquintal disse...

gosto muito desta pensão.
bjocas
Alex - o gato
Mia - a gata
Fred - o cão
agradecem os miminhos.

Tenbu disse...

e não serão sempre, os gatos, as criaturas mais finas, em qualquer pensãozinha, burguesa ou não?

Rosa dos Ventos disse...

Que delícia, Justine!
Até apetece procurar uma pensãozinha assim...
Não conhecia este poema tão ternurento do Manuel Bandeira...

Abraço

dona tela disse...

Tive um dia muito bem passado!

Desejo-lhe um grande fim de semana.

~pi disse...

pensão

que aconchego de palavra!!

( o que gosto de entrar

por essa palavra-lugar

dentrO!



~

Patti disse...

Espapaçados ao sol ...o que eles adoram fazer isso!

Anónimo disse...

necessario verificar:)