quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O essencial

"... on ne voit bien qu'avec le coeur. L'essentiel est invisible pour les yeux"
.
Le Petit Prince, Antoine de Saint-Exupéry, Ed. Gallimard, pag.72

.
(Someday my prince will come,Bill Evans)

37 comentários:

avec l'essentiel à vista disse...

Mas é pelos olhos...
e, às vezes, acontece que são os olhos que nos prendem, talvez j(á)amor, e nos levam a ver com o coração e as entranhas.
Pois é... isto dos poetas!

João Videira Santos disse...

Como ele sabia destas coisas...Na verdade,o essencial é invisivel aos olhos...

Maria disse...

É verdade, mas devemos ver sempre também com os olhos: a tal questão do coração e da razão...
... mas o essencial a gente não vê, apenas sente...

Beijo

Rosa dos Ventos disse...

Bien sûr!
Já lá vai o tempo em que este livro era de leitura obrigatória no 7º ou 8º ano (já não me lembro muito bem)...

Abraço

salvoconduto disse...

Cela va mieux avec Bill Evans!

O baixista "acompanha-o" bem, grandre trio! Faz bem ao coração...

Fernando Samuel disse...

É.
(Será?)...


Um beijo.

Pitanga Doce disse...

Sim, o quê conta mesmo, nem sempre está á vista.

boa tarde, Justine

Chat Gris disse...

Verdade, verdadinha...
:)

rosasiventos disse...

afinal era some day my prince will come... :)



vou agora ali num instante que morro crente que o maior amor é uma vez dois e, por outro lado, bem maior que dois e sempre, afinal, sempre rio virgem, mas enquanto de abraço nem sombra vou ali e volto ou volto que nem que não volte logo se não verá.

Duarte disse...

Aqui "El principito"

Descobri com os meus filhos a Saint-Exupéry precisamente pela leitura de este livro, que foi aconselhado no colégio.

Mais tarde li "Voo nocturno", (quantas recordações do meu passo pela Base de São Jacinto, sentia-me o protagonista) que acabou por induzir-me na leitura de toda a sua obra.

Nasceu para voar e morreu voando, fez-nos sonhar com um mundo melhor... o essencial é invisível para os olhos...

Agrego este breve fragmento:

Sé que en algún lugar del mundo, existe una rosa única, distinta de todas las demás rosas, una cuya delicadeza, candor e inocencia, harán despertar de su letargo a mi alma, mi corazón y mis riñones.
A esa rosa, donde quiera que esté, dedico este trabajo, con la esperanza de hallarla algún día, o de dejarme hallar por ella.
Existe... rodeada de amapolas multicolores, filtrando todo lo bello a través de sus ojos aperlados, cristalinos y absolutamente hermosos...

Antoine de Saint-Exupéry

Um beijo para ti

Violeta disse...

é verdade! o essencial é invisivel aos olhos; mas na prática as pessoas com quem partilhamos a vida querem o visivel e é pelo visivel que nos deixam...

samuel disse...

Já tive um assim, velhote e em francês... agora, (do mal o menos) tenho um em português, muito mais novo... mas que também me "cativou"!

BlueVelvet disse...

Um livro obrigatório para crianças e adultos.
Um livro de sempre e para sempre.
Também gosto muito de "sermos responsáveis por quem cativamos".
Beijinhos

vida de vidro disse...

Esse livro acompanhou-me em diversas fases da minha vida e curiosamente encontrei sempre nele um novo significado. Devia ser de leitura obrigatória. :)**

intimidades disse...

adorei o livro quando o li

Jokas

Paula

batista disse...

"- Onde estão os homens? repetiu enfim o principezinho. A gente está um pouco só no deserto.
- Entre os homens também, disse a serpente."

intemporal. necessário, como o ar, como poesia, que o é... quando o conheci tinha 8 anos. de lá pra cá, 42 se passaram. nesse espaço de tempo sempre retorno às suas páginas.

deixo o meu abraço fraterno.

Lúcia disse...

Uma bíblia, este livro.
Beijinhos

elena disse...

não cabe aqui nenhuma palavra :)

Filipa disse...

verdade...

mena m. disse...

Sem tirar nem pôr!

Mas raros são os que nunca precisam de óculos...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Diz o povo: olhos que não vêem, coração que não sente. Será?

mfc disse...

A junção da ternura e da inteligência redunda num livro não datado, porque sempre actual.

Azul disse...

Em dias poeirentos, quase vazios de sentido, sabe tão bem regressar aqui! Magnífica citação, lembrança perfeita de quem sabiamente diz quase tudo... belo trio musical acompanha o extraordinário post. Obrigada pela partilha. Um abraço. Até breve. Azul.

Tinta Azul disse...

Exactamente.
Assino por baixo.
:)

poesianopopular disse...

Duas terapías este livro e esta musica!
Sonhemos então um pouco... Ou um muito!
Abraço

GR disse...

respeito – ódio – tristeza – paixão – solidão – amor
O que sentimos profundamente, não necessita de visão.
Sente-se!

Um livro sempre actual, para todas as idades.

GR

M. disse...

A Beleza intrínseca de um livro de sempre.

Micas disse...

Este é realmente um livro que devia ser obrigatorio à humanidade, sempre actual e tão verdadeiro... o essencial é invisivel aos olhos, o essencial a gente sente...
Gostei imenso deste espaço e voltarei.
Bom fim de semana

legivel disse...

... esta é uma daquelas edições que subverter o essencial com um comment de ironia de qualidade duvidosa(?!) é de muito mau gosto.
Aliás, nem vi o post tal a sua invisibilidade. O meu coração sim.

abraço e sorrisos.

legivel disse...

... esta é uma daquelas edições que subverter o essencial com um comment irónico de qualidade duvidosa (?!) seria de muito mau gosto.
Aliás, os meus olhos nem viram o post tal a sua invisibilidade. Mas o meu coração sentiu-o.

abraço e sorrisos.


Nota: paraceu-me que o primeiro comment não tinha ficado muito claro. Assim sendo, acendi mais umas luzes.

instantes e momentos disse...

voltando aqui para te desejar um belissimo e feliz final de semana.
Maurizio

Gargola disse...

Ai Justine...seré rara, pero es que el Principito nunca me ha gustado. “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas?”
Siempre me ha parecido una responsabilidad demasiado pesada para asumirla... Nosotros mismos debemos decidir si nos dejamos cautivar…, o no...
Bueno, pero es un clásico, no? y esta frase que pusiste, estoy de acuerdo que es muy acertada!
Besos

Perdido disse...

Que não se vê bem senão com o coração? Mas que é isto? Então o coração não tem cataratas? Miopia? estigmatismo? Vista cansada?

Afinal porque é que o príncipe se sentava a uma curta distância da raposinha? Para fazer amigos? Népias! É que não a via bem! Às tantas, andava sem coração. Quem sabe?

Que idade já tem o miúdo? Já deve a andar com as barbas brancas a arrastar pelo chão.

pinguim disse...

Fico sempre emocionado quando vejo na blogosfera uma referência ao livro da minha vida: "Le Petit Prince".
Obrigado.
Beijinhos.

siempre el mar disse...

Hola Justine¡¡¡ gracias por tu visita, un placer pasar por aquí.
Buen libro y buena frase.
besitos desde mi mar

~pi disse...

(Someday - soon! my prince will come, :)

mariam disse...

"o essencial é invisivel aos olhos"

sabe, já me "cativou".

mariam