sexta-feira, 24 de abril de 2009

Tempo de Poesia




Todo o tempo é de poesia.

Desde a névoa da manhã
à névoa do outro dia.

Desde a quentura do ventre
à frigidez da agonia.

Todo o tempo é de poesia.

Entre bombas que deflagram.
Corolas que se desdobram.
Corpos que em sangue soçobram.
Vidas que a amar se consagram.

Sob a cúpula sombria
das mãos que pedem vingança.
Sob o arco da aliança
da celeste alegoria.

Todo o tempo é de poesia.

Desde a arrumação do caos
à confusão da harmonia.
.

António Gedeão, Obra Poética
.
Verdes Anos, Carlos Paredes

49 comentários:

Mariazita disse...

Mais um feliz momento neste blog!
Mais um de entre muitos, é claro!
De António Gedeão o que dizer? Para mim...não há palavras. Acho que ele tem poesia tão boa, de tanta qualidade, que não é fácil comentar.
Eu digo apenas - Lindíssimo!
Obrigada pela partilha.
Ah! uma palavra para a música - Paredes...dizer o quê, também??? Verdes anos, uma belíssima composição.

Beijinhos
Mariazita

PS - Amanhã vou publicar um post em homenagem à Revolução de 25 de Abril, em que entra um poema do Humberto-Poeta (entre outros).

Mariazita disse...

Justine
Gostei tanto do post que esqueci um favor que quero te pedir...
Não te importas de me dizer como se insere música no post?
Eu tenho música de fundo no meu blog, mas para inserir no post é diferente.
Se puderes ajudar-me ficar-te-te muito grata.
Beijinho
Mariazita

BlueVelvet disse...

Lindo o poema e as papoilas, que adoro.
Beijinhos

Si disse...

Nunca resisto a António Gedeão.
Em todos os seus poemas há tanta verdade e ironia feroz, como inocência e boçalidade.
Um bom exemplo para reflectir, nestas comemorações do 25 de Abril

MagyMay disse...

Exultando, o momento de poesia, lembro:

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive
(Ricardo Reis)

Arabica disse...

Toda a papoila é um poema
na seara do vento, Justine.

E mais não digo, fico a ouvir e a ler.

E a deixar-te um abraço!


:)

mariam disse...

Justine,

...'todo o tempo é de poesia...' assim o queira o 'olhar' e o coração.

Obrigada por todas estas partilhas, aqui tenho estado a 'deliciar-me' com tudo o que ainda não tinha visto ... tenho andado pouco presente :( desculpa.

bom fim-de-semana
um grande abraço(aos dois), uma festinha ao Mounty e o meu sorriso (de sempre) :)
mariam

Fernando Samuel disse...

Sem dúvida: todo o tempo é de poesia - e muitas vezes de poesia muito boa...

Um beijo.

M. disse...

Linda esta tua flor de Poesia aqui.

PreDatado disse...

Eu concordo totalmente com o António Gedeão. Todo o tempo é tempo de poesia.

Teresa Durães disse...

ainda bem que assim o é!

ParadoXos disse...

e é mesmo assim para acender os momentos em que o tempo se apaga...
haja poesia!!



teu beijo imenso
do teu miudo
Heduardo

:-)

Chat Gris disse...

"Uma papoila voava, voava..."
Amanhã é dia de papoilas...

salvoconduto disse...

A música de Carlos Paredes parece que ainda dá mais força ao poema de Gedeão.

as-nunes disse...

A Poesia de António Gedeão em simbiose plena com a maravilhosa música de Carlos Paredes e temos um momento, ele próprio

da melhor Poesia!

Bj
António

Rodrigo "Perdido" disse...

Bem! Depois de tanta poesia só me resta mandar-te um beijinho

deste teu prosaico amigo

Duarte disse...

Papoilas

Papoilas vermelhas
Entre verdes trigais
Corados por sol de estio,
Ventos ondulantes
Que atiçam...
Inchando velas
De campos silvestres;
Lenços que cobrem a seara;
Chapéus até às orelhas;
Pinheiros de copa baixa,
Poucas casas,
menos gente;
Fumarada,
Chão ardente.

A inspiração que me deixas...

Beijo-te

Maria disse...

Diria que este post tem a tua cara...
E sendo todo o tempo tempo de poesia, estas papoilas têm a cor de Abril, de todos os meses, de todos os dias...

Beijos e um cravo Vermelho

Pjsoueu disse...

Justine:)

Entrei neste lugar aprazível; O tempo aqui não passa, porque quem passa é a poesia das palavras vividas no coração poético de quem assim, ,melodiosamente vê e saboreia a vida!

Gostei muito "Daqui" :)

bjos

Pj

jawaa disse...

Que linda ilustração para o poema de Gedeão.
Um beijo e um bom dia de liberdade!

intimidades disse...

e tempo de me soltar

Jokas

Paula

Alien8 disse...

Justine,

E hoje, de novo, mais do que nunca!

Um bom 25 de Abril!

bettips disse...

Todo o tempo é de esperança.
Esta, reverdecida cada ano em vermelho-cravo! Verde-palavra!
Bj

GR disse...

E a poesia ajuda-nos a viver os dias.
Lindo post.

Um bj

GR

meus instantes e momentos disse...

é bom voltar aqui, fotos, textos, essa música. Maravilhoso vir aqui.
Maurizio

Rosa dos Ventos disse...

António Gedeão, Carlos Paredes, Verdes Anos e Papoilas Vermelhas...
Tudo tão nosso nesta manhã que também nasceu clara e luminosa!

Abraço neste 25 de Abril

Multiolhares disse...

Precisamos de encontrar poesia na vida, para superar os momentos mais difíceis
beijos

Maria P. disse...

Tempo de não esquecer Abril!

:)Beijinho*

Paula Raposo disse...

E todo o tempo é de Poesia nas simples e belas palavras do António Gedeão! Muitos beijos e obrigada pela partilha.

Arabica disse...

VivAbril no abraço e na voz, aqui e agora!

:)

Lola disse...

Justine,

Tempo de poesia é todo o tempo.

Em Liberdade.

Beijos grandes

pinguim disse...

Tempo de poesia, tempo de música, tempo de recordação e porque não...tempo de esperança?
Beijinhos.

Mar Arável disse...

O equilíbrio

na assimetria

25 de ABRIL

de novo

bettips disse...

Porque, nem antes nem depois, a revolução das mentalidades me deixou de comover e empolgar, Justine.
Bjos

Tinta Azul disse...

Com papoilas e palavras-papoilas:
Bom dia 25 de Abril!

:)

Mariazita disse...

Olá, Justine
Venho do "Histórias" agradecer a tua visita e comentário.
Muito obrigada!

Quanto ao assunto da música já sei como fazer. Tinha uma certa urgência por causa do post de hoje, mas afinal resolvi não incluir. Achei que ficava melhor sem.
De qualquer modo muito obrigada.

Beijinhos
Mariazita

poetaeusou . . . disse...

*
um contributo
,
Eu sou português
aqui
o português sem mestre
mas com jeito.
Eu sou português
aqui
e trago o mês de Abril
a voar
dentro do peito.
Eu sou português aqui
,
in-José Fanha
,
brisas de liberdade,
,
*

Lúcia disse...

Poesia boa. Este país é fértil em poetas. E em que outro país uma revolução começa tendo como sinal uma música a passar na rádio?!:)

Sal disse...

Um cravo vermelho para ti, poeta Justine, que nos enfeitiças com os teus belos posts e belas fotos.
A poesia, só por sorte, ficou fora dos 7 pecados mortais, tal é o prazer que nos provoca!
Tal é o seu poder, em certas ocasiões.

beijinhos
e VIVA ABRIL

mena m. disse...

Verdes são os campos,verdes anos a música que acompanham este espanto de poema!

O verde da esperança que chegue a revolução nos corações dos homens...

Beijinho

pelevermelha disse...

Depois de 40 comentários, cá venho eu. Dispensável seria? Decertro, mas também quero aqui estar, e devo dizer que estou porque aqui venho ouvir (ah!, o Carlos Paredes), e ver (como sairam as fotos em post), e ler (ah!, o Gedeão).
E, já agora, dizer que muito me lembrei do Zé Gomes e o seu
Oh!, pastor que choras/O teu rebanho onde está?/Deita as mágoas fora,/carneiros é o que mais há/.../Quem te pôs na orelha/essas cerejas, pastor?/São de cor vermelha vai pintá-las de outra cor/Vai pintar os frutos,/as amoras, os rosais.../Vai pintar de luto/as papoilas dos trigais!
E isto com música do Graça! E tanta estória e História...

Mas... está tão bem assim!

Violeta disse...

Antóneo gedeão, pois então...
E o gato não se rebola nas papoilas?os meus estão encaixados no puf a ressonar
bjs

Idun disse...

gritos de papoilas nas paisagens, discretos murmúrios de rosas bravas...

marradinhas afectuosas, justine.

cristal disse...

Dos poemas do meu preferido Gedeão, este é um dos meus preferidos e com a cor das papoilas e da música... lindo!

mundo azul disse...

_________________________________

Bonito poema...Versos fortes, expressivos!


Obrigada, por compartilhar...


Beijos de luz e uma semana feliz, Justine!

_________________________________

Juani disse...

Gracias por este momento de poesia, me ha gustado mucho
saluditos

Belisa disse...

Olá

Papoilas lindas estas e palavras poéticas que aqui venho ler e encontar!

Beijos estrelados

mdsol disse...

Beijinhos em forma de poesia!
:))

com senso disse...

Este blog é um poema!
E esta magnifica composição de Gedeão é uma das poesias minhas preferidos desde a adolescência.
Foi magnifico encontrá-la ao som de Carlos Paredes.
Por duas vias belissimas trouxe-me à memória os meus Verdes Anos.
Um beijinho com amizade.