sábado, 6 de julho de 2013

As pedras dos caminhos

 
Eram estas belas colunas que, no tempo da ocupação romana, assinalavam as distâncias e as direcções nas estradas da nossa velha Lusitânia.  Estes marcos miliários, especificamente, encontravam-se nas estradas que davam acesso a Bracara Augusta. Hoje encontram-se no Museu Arqueológico D. Diogo de Sousa, em Braga.
Vale a pena uma visita!
 
  
.
Yesterdays, Miles Davies 


20 comentários:

anamar disse...

Um dia irei...

Beijinho grande

João Roque disse...

Estive há poucos anos atrás, vários dias em Braga e se soubesse esta dica, não me teria escapado.

salvoconduto disse...

As outras pedras por lá ainda estão, direi mesmo que alguém faz questão de as pôr no meio do caminho. Esse alguém é que ficava bem no museu, sem direito a visitas, claro.

São disse...

Há anos que não visto a cidade , embora tenha estado no Sameiro, em Santa Madalena da Falperra e Bom Jesus.

São as limitações de quem viaja em grupo...

Fico com a informação, obrigada

Bom domingo

Lá estivemos disse...

Os caminhos das pedras, e as pedras no caminho, e os caminhos a caminhar andando pela História!

Boas recordações e belo "post".

jrd disse...

Os bons caminhos caminhos que a História nos devolve.
Abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Quem estiver por Braga poderá andar mais uns 40 km e ir até ao Gerês ver a Geira Romana com os marcos miliários ainda no seu sítio (pelo menos aproximado) Esta Geira ligava Braga a Astorga. Esta estrada possibilitava a mobilidade de mercadorias e de exércitos.
Precisamente o propósito das modernas auto-estradas quando começaram a ser construídas na Alemanha do III Reich.

Não tenho dúvida que a Geira que ainda se vê no Gerês é muito diferente do que terá sido há 1900 anos quando foi construída, mas é possível sentarmo-nos na beira de tais pedras à sombra de carvalhos, castanheiros, cedros, teixos... e sentir a ancestralidade.

Paula Rodrigues disse...

lindas

Bjinhos
Paula

GR disse...

Tantas vezes fui a Braga e nunca vi o que os teus olhos nos ensinam, História.
Irei ver.

BJS,

GR

M. disse...

Que engraçado, lembram-me rolhas! :-))

Graciete Rietsch disse...

Estivemos no Museu,quando se fez o convívio de fim de ano letivo da UPP. Mas, não pude ver o museu, devido ao teatrinho em que intervim, não muito bem porque, para além de outras razões, houve um momento em que não consegui chegar a tempo da minha entrada. Foi pena.
Mas a UPP tem-se encarregado de nos levar a visitar várias maravilhas de Portugal.

Um beijo .


Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma excelente sugestão, que guardarei para cumprir numa próxima visita a Braga

mariam disse...

... a conhecer!

Beijinhos e saudades de por aqui pass(e)ar :)

mariam

Clarice disse...

Adoro coisas assim!
Mas para não perder a piada, imagine quantos metros andando em volta delas para fazer pesquisa para a escola, hein?
Abração.

Mar Arável disse...

O caminho das pedras

Bjs

Evanir disse...

Todos os dias Deus nos dá um momento em que
é possível mudar tudo que nos deixa infeliz
e tristes.
Para isso precismos ter esperança e acima de
tudo muita fé .
Com esperança e fé tudo pode mudar dentro de nos
as coisas boas começa acontecer mudando toda nossa existência.
Esse é um instante mágico quando passamos a ter fé porque Deus
vem habitar dentro do nosso coração.
Carinhosamente : desejo uma semana abençoada.
Beijos no coração,Evanir.

Lilá(s) disse...

Parecem bem interessantes, um dia lá irei...
Bjs

OUTONO disse...

...sem dúvida!

Abraço!

Maria Emilia Moreira disse...

Olá! Vale a pena a visita, na verdade!
Temos sempre tanto para descobrir neste nosso rectângulo pequenino!
Um abraço.

Duarte disse...

Em tempos ainda se viam indicações do género pelas velhas calçadas romanas... hoje só em museus, e que durem!
Um abraço bem grande