sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Al-Iskanderya (Alexandria) - a real e a mítica I

Tudo começou com este senhor

Alexandre Magno, num dia do ano 332 a.c., olhou para aquela língua de terra junto do Lago Mareotis e decidiu erigir ali a capital do seu império. Mas não era suficiente. Teria de ser a capital cultural do mundo. A ponte entre o Ocidente e o Oriente.
Assim foi.










E hoje, passados estes 24 séculos, Alexandria é uma cidade de oito milhões de habitantes, fruto de contínuas miscigenações entre gregos, romanos, persas, judeus, árabes, arménios, sírios, franceses, ingleses e até alguns egípcios. Não admira que seja uma cidade cansada e intemporal, incompreensível, misteriosa, mística e mítica.
Onde me senti em casa.
.

Almost like being in love,Sonny Rollins with The Modern Jazz Quartet
















31 comentários:

anamar disse...

E o vosso sonho tornou-se realidade...
Tanto que haverá para contar.
Beijo amigo.

( eu fiquei atascada por cá, doente)...

legivel disse...

Mounty não tinha razão
foi coisa de ciumeira
ou estava com azia.
Quem perderia a ocasião
d´ir à sua Alexandria?

:))

Anónimo disse...

Fiquei muito feliz por teres realizado um dos teus maiores sonhos e por lá te sentires em casa.
Agora delicio-me com a narrativa da viagem. Beijo, Joana

Fernando Samuel disse...

«Que me senti em casa»: que maior elogio se pode fazer a um local que visitamos do que dizer isso?...

Um beijo.

Maria disse...

E eu vou 'viajar' através das tuas fotografias...
Aposto que só sentiste a falta do Mounty...

Beijo.

Rosa dos Ventos disse...

E eu apanho a boleia da Maria!
Ainda bem que te sentiste em casa...
Afinal nós também entendemos de miscigenação e estamos bem entre "desvairadas gentes" como diz Fernão Lopes...

Abraço

pinguim disse...

Alexandria, ao contrário do Cairo também me cativa imenso.

Licínia Quitério disse...

Fico feliz. Confirmaste que aquele lugar também é o teu. Que bonita "romagem" à cidade que há tanto te chamava.
Pelas fotos estou a gostar imenso. Cruzaste-te com Baltazar?

Um beijo e saudades.

Licínia

companheiro... também de viagens disse...

Foi bom!
Pelo que lembrou, pelo que fez sentir do que é vivo para além de nós, de cada um de nós que tudo somos quando todos somos.
As diferenças - no tempo, no espaço - que nos unem e nos tornam descendentes e irmãos.
Que te comentar? Que espero, com curiosidade e certo da surpresa, o teu olhar que vi olhar e fotografar, e as palavras com que te ouvi admirar e comentar.
... e os gatos... pois!... não irão faltar. Mas, por favor, não todos os que nos fizeram parar! Nem todos merecem este blog, nem o Mounti mereceria sofrer tanto!
Até já.

Babyvelvet disse...

Lindas fotografias de uma viagem que também o deve ter sido.
Razão tem o Mounty de ficar enciumado:)
Beijinhos Justine

BlueVelvet disse...

Macacos me mordam se percebo isto.
Estou tão destreinada que em vez do comentário sair com Bluevelvet sai com Babyvelvet:)
Bom, mas sou eu aí em cima.

Há.dias.assim disse...

Andas a passear por estes sítios todos e depois não queres que o Mounty amue?!
:)

Sara disse...

Depois de ler o "Quarteto", é interessante fazer o contraste do imaginário construído e destas imagens que aqui encontro. Confesso que imaginava as ruas mais sombrias e estreitas, ligeiramente claustrofóbicas, mas o mar, esse, também tinha esta luz.

Que bom que gostou! :)
Um abraço de cá.

GR disse...

O sonho tornado realidade colorida.

Grande BJ,

GR

Duarte disse...

Deduzo, pelas tuas palavras, que foste feliz. Sabes que é uma das cadeiras que tenho por aprovar, mas aquilo que tão bem fotografaste não acaba de seduzir-me. Quero continuar a pensar na ideia que tinha, para ver se segue em pé a ideia de ir até lá.
Bom, e o resto quê? Como viste a Alexandria cultural?
Imagino a resposta, será na próxima... quero seguir enganchado à ideia.

Um grande abraço, querida amiga

intimidades disse...

Fantasticas foots, adore as cores, a Vida quase que oicomo barulho e sinto on cheiros


Beijos

Sofá Amarelo disse...

Que fantásticooooo, foste mesmo ao local... e captaste as cores, a vida , a alma da cidade e da história. Parabéns!

Muitos beijinhos!

Barbara disse...

Olhei com atenção e confesso: eu também me sentiria em casa.

R. disse...

Belíssimo colorido e belíssima luz. Um verdadeiro caleidoscópio material e cultural. Com tanta diversidade e História, não espanta que nos reconheçamos por lá. Vantagens da ancestralidade que, afinal, todos partilhamos.

Votos de que o bem-estar se prolongue além férias!

OUTONO disse...

Um sonho...e uma cultura...que já esteve a um "dedo" de realizar.
O sonho comanda a vida...e se a "carteira" comandar o sonho...far-te-ei inveja ( estou a brincar).
Foi bom...muito bom...ver este lado cutural!
Beijinho.

M. disse...

E assim te acompanharemos neste "depois da viagem" através dos teus olhos. É bom este mundo de partilhas.

Violeta disse...

Aguardo que me volte a vontade de viajar.
Ando tão ocupada e cansada que quero mm é ficar no sofá. Mas as tuas sugestões são tentadoras...

magnólia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mdsol disse...

Que bommmmmm
Beijinho

:)))

Lilá(s) disse...

E a viagem parece então ter sido boa...bela reportagem fotográfica.
Bjs

augusto, um entre mil disse...

é crime, é seguramente crime merecedor de punição e proibição fazer posts como este: servem para me deixar roidinho de inveja!!!!

Anónimo disse...

e lá vou eu começar a viajar contigo!... que bommm! :)

beijocasssss
vovómaria

audrey disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Idun, a felina disse...

gostámos tanto que vamos montar tenda aqui por estas bandas, para não perdermos o post que se segue. as tuas palavras, justine, ensinam-nos a amar os lugares que amas. :)

(há uns anos, a Humana leu uma crónica sobre lisboa, publicada no "el país"; o cronista, que nunca tinha estado em lisboa, falava desta cidade que lhe tinha sido descrita por um amigo pintor, que recentemente a visitara. e o que é engraçado é que essa descrição, correspondia à ideia que a Humana tinha, e tem, de uma outra lisboa, que existe para além do olhar).

marradinhas afectuosas e um grande abraço da Humna.

Idun, a felina disse...

nota: retirar virgula, a seguir a "descrição". :)

Pitanga Doce disse...

E Justine volta às páginas do livro. Com real emoção. Tudo tão vivo!

beijos de quem acredita no sonho.