quinta-feira, 24 de abril de 2008

Os símbolos e a vontade







Epígrafe

De palavras não sei. Apenas tento
desvendar o seu lento movimento
quando passam ao longo do que invento
como pre-feitos blocos de cimento.

De palavras não sei. Apenas quero
retomar-lhes o peso a consistência
e com elas erguer a fogo e ferro
um palácio de força e resistência.

De palavras não sei. Por isso canto
em cada uma apenas outro tanto
do que sinto por dentro quando as digo.

Palavra que me lavra. Alfaia escrava.
De mim próprio matéria bruta e brava
----expressão da multidão que está comigo.


(J. C. Ary dos Santos)

37 comentários:

herético disse...

... "expressão da multidão que está comigo" - a verdadeira chave. de oiro...

gostei muito. de reler. aqui.

poesianopopular disse...

Soneto de ARY, musica de Carlos Paredes,Abril vai reanimar, e ficar mais forte.
At� amanh� camarada!
Abra�o
Manang�o

Auréola Branca disse...

Poesia maravilhosa! Mas, ao final, percebo que multidões estão a escrever e multidões estão a aplaudir.
Adorei visitar-te.

Benó disse...

Muito me satisfaz e o meu ego sobe quando recebo elogios. Obrigada pela visita e palavras simpáticas.
Ary dos Santos mais um poeta de Abril que mesmo ausente fisicamente, está sempre bem presente neste dia.
Um grande abraço e
Seja Feliz!

un dress disse...

pa lavra

com um ~

nuno leite disse...

A Liberdade esta a passar por aqui!
Obrigado por estes "Verdes anos", sempre me arrepiaram... Ate segunda, eh, eh!

Duarte disse...

Uma boa escolha; excelente soneto... só falta a música...
Retribuo abraço fraterno e agradeço as palavras de ânimo.

Justine, para mim será um prazer acompanhar-te, ou acompanhar-vos, na visita à cidade das Ciências; não me canso de aparecer por ali!
Ando um pouco limitado de tempo, mas quero, a curto prazo, incluir o resto do que fiz; Museu das Ciências Príncipe Filipe, L´Hemisferic, L´Umbracl e do Palau de les Artes Reina Sofia: tudo isto faz parte da cidade das artes e das ciências de Valência.

Rosa dos Ventos disse...

Belo poema do Ary que também partiu demasiado cedo!
Abraço e

Vivó 25 de Abril e a Liberdade que nos trouxe.

comecardenovo disse...

Ary. gosto muito.das flores e da biblioteca tb,
Bjocas

Maria disse...

O Zé Carlos é o Maior Poeta de Abril.
Belo poema nos trouxeste aqui, obrigada....

Um beijo e um cravo vermelho

viajante disse...

Ary, Zeca, Alegre, Zé Mário, Sérgio e tantos outros.
Poetas do nosso contentamento.

M. disse...

Sim, os símbolos e a vontade. Bem escolhida, a mensagem, na forma estética da imagem e do conteúdo.

o das caldas disse...

Muito oportuno!
Hoje nas Caldas tá-se bem.
Bfs.
2 beijinhos

Parvinha da Silva disse...

vim trazer-te um cravo e o meu abraço amigo.

Rui Caetano disse...

Um bom dia de 25 de Abril!

Nilson Barcelli disse...

Símbolos que não devem morrer.
Na vontade e na prática.

Bom fim-de-semana, beijinhos.

Vieira Calado disse...

25 de Abril, sempre!

Cumprimentos

bettips disse...

O que pensamos. Pedra e flor vermelha, SEMPRE perenes!
Bj

A.Mello-Alter disse...

Obrigado este noneto não conhecia.
E casa muito bem com Paredes.

DE-PROPOSITO disse...

Um poema bonito, que retrata fielmente a magia da poesia.

mariadosol disse...

Pena que eu não ouço a música além da das palavras e da tua jarra... Mas mesmo assim valeu!

Duarte disse...

O Outono é uma boa época, já não faz tanto calor. Não é aconselhável do 9 ao 12, geralmente faz-se ponte; o 9 é festivo em Valência, dia da "Comunidad Valenciana"; e o 12 è o dia da "Hispanidad", festa nacional: estará cheio de gente e não nos moveríamos a gosto.

Idun disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Idun disse...

o que se quer transmitir nao cabe dentro das palavras; mas elas são, apesar de tudo, imprescindíveis, para as lançarmos, como mensagem, na boca do vento. e os poetas sabem disso. bela trilogia:poema, imagem, música.

parabéns, justine. e um abraço renovado.

um Ar de disse...

De palavras sabia.
[Coisas de poeta, estas modéstias...]

Também sabia de pessoas
e de tantas
coisas "outras"

Por isso, a poesia!
Por isso, modéstia
desculpada
Por isso, modéstia
agradecida

Por isso,
obrigada
pela lembrança
partilhada.


[BEIJO]

Sal disse...

Passei para mandar um beijinho
e logo leio um poema do nosso querido Ary dos Santos.
E vejo uma bela foto... Ena pá que bela biblioteca...

Beijinhos

samuel disse...

Não houve (nem há) muitos poetas a escrever assim...

Abreijo

Fernando Samuel disse...

De palavras não sei - que é como quem diz: os símbolos e a vontade...
O Zé Carlos foi o Poeta da Revolução de Abril - e que grande Poeta!
Beijo amigo.

un dress disse...

belo reler:

do que nos

lavra a

pa

lavra




beijO

Um Momento disse...

E eu das palavras também não sei...
Apenas do desejo de te desejar uma linda semana... Livre!!!

Beijo... em ti

(*)

Tinta Azul disse...

Gosto muito de Ary dos Santos. Pela força das suas palavras. Não há meias-tintas.
Um dos meus poemas preferidos é o POEMA ORIGINAL. Acho-o extraordinário mesmo.
:)

GR disse...

Paredes + Ary + Abril = Liberdade
Bonita combinação!

Justine,
Fazes a Revolução com ternura, sensibilidade e muita vontade.

Um bj Amigo,

GR

bettips disse...

Passo pela casa, pensando em risos longe. No fim de semana estarei "lá baixo"...
Bjinhos

um Ar de disse...

Ao som do "teu" Carlos Paredes...
Ao som do "nosso"...

Se aqui vieres... tens um beijo de saudade e votos de um 1º de Maio bem vivido noutras paragens, pois que também se comemora na Holanda, ao som da tua/nossa guitarra portuguesa [fizeste de propósito... não foi?].

[O tal beijo:)]

TINTA PERMANENTE disse...

Cravos vermelhos, Ary e Paredes. Seja a 25 de Abril ou a 1 de Maio, na rua, no trabalho ou em casa.
Mas, hoje, a memória dói. Onde estão as gentes, os mares, desses dias?...


abraços!

legivel disse...

Este tempo não merece
quem nele viveu e o esquece
Abril e Maio são nossa História
não os apaguem da memória.


Hoje deu-ma para a rima de pé quebrado, que se há-de fazer? Óptimo primeiro de Maio, Justine e um cumprimento especial ao Mounty-guarda-papéis.

Justine disse...

Amigos meus todos
Depois de uma passagem breve por outros e fundos afectos, deixo hoje (ainda a tempo) o voto/desejo de que este tempo de esperança e luta tenha também sido de alegria e de renovação do sonho/acção para todos nós.
Um beijo