sexta-feira, 16 de maio de 2008

Beleza e efemeridade

Nasceu o botão, difuso


Explodiu a flor, insolente. Amanhã, sem ruído, fenecerá.
Beleza e Efemeridade. Vida e Morte.

38 comentários:

~pi disse...

sempre. calados ~

porque sou cravo disse...

Dos muitos botões, só uma flor nasceu. A de todos os anos. Que se te ofereceu para que fotografasses a efemeridade. E silenciosamente, feneceu.
Porque lhe chamas insolente se para ti se abriu em explosão? Por ter vindo desafiar-te na sua beleza, e dizer-te que ela é efémera, como tu (ou a tua)?
Perdoo-te... porque não sou rosa, porque sou cravo.

Tinta Azul disse...

Integração de cada coisa, todas as coisas, numa só: a vida.
Beijo

Licínia Quitério disse...

Pelo meio, a insolência. Vibrante. Sabendo (ou não) da efemeridade.

Um beijo. Bom fds.

herético disse...

mas belo o seu perfume (e até os seus espinhos) enquanto dura...

Olá, Justine!...

Duarte disse...

A vida é assim de efémera, até para a beleza duma rosa.
Um poema que convida à reflexão.
Também lhe dás bem ao obturador!

GR disse...

LINDA!
Porém, enquanto dura presenteia-nos com a sua beleza!

GR

Pitanga Doce disse...

Ainda custa-me vir aqui e encontrar as flores da Primavera mas isto há de passar.

beijos

mariam disse...

envelhecer... deve ser ... um sentimento ... de pura beleza... (pena não ser assim o "olhar" da maioria)...

bom fim-de-semana
um sorriso :)

mariadosol disse...

o botão, a rosa, o cravo, ... lindo como sempre!
:))

samuel disse...

Como dizia o tal... enquanto dure, que seja eterna!

Abreijo

um Ar de disse...

Parece mais Renovação!
Embora, seja só na natureza que a consiga nomear, assim...

[BEIJO...]

mena m. disse...

A vida e a morte uma dualidade permanente neste jogo da existência!

Que não deixemos de explodir assim também nas nossas vidas!
Excelente post|
Beijinho e bom fim-de-semana!

M. disse...

Felizmente que foste lá, porque assim pude voltar a encontrar a tua casa. Sabes por que rio hoje? Por causa do tal Ai! que nos perfura enquanto sai. Ou será ao contrário: sai enquanto nos perfura? Tanto faz, a perfuração é que é o diabo... Bom, mas por aqui há Beleza e efemeridade no jardim. Só no jardim? Quem dera!
Bom resto de sábado e bom domingo inteiro.

Eyes wide open disse...

Linda... eu ando a tentar a mesma sorte com violetas brancas :)


*

poesianopopular disse...

É a lei das leis:-é a NATUREZA!
Vou ficar mais um bocadinho a ouvir este solo de sax-tenor!
Obrigado pela oferta.
Abraço
Manangão

greentea disse...

vale que as orquideas duram muitissimo tempo e as minhas começaram a florir na Páscoa e ainda têm as flores bem lindas !!

Quanto a Amsterdam não me importava de lá voltar. Já!

Maria disse...

O curto ciclo de vida aí, nessa flor.
Logo logo a Natureza te há-de presentear com mais flores, muitas flores...

Bom domingo

bettips disse...

Aqui perpetuada ainda com o doce cair de orvalho ou chuva.
Linda!
(assim o Mounty não queira levá-la quiçá a uma gatinha e lá fenecerá mais cedo!)
Bjinhos

jasmimdomeuquintal disse...

e as minhas roseiras cheias de piolho...
boa semana

Duarte disse...

Emílio Solo, é um cantor valenciano que interpreta fantasticamente "Rosas Rojas", diria que melhor que o seu criador. Conheces esta canção?
Tens muito bem cuidado o teu jardim, essas folhas tão verdes dizem tudo.

EDUARDO disse...

Devem ser 360 graus de silêncio eterno. Entao... Haja voz que não se cale agora em que estamos... Em vida!!

Beijão!

PARADOXOS

L & E disse...

E é belo...

abraço.

dona tela disse...

Então o fim de semana da Senhora foi bom? O meu foi assim assim.

Tela

Um Momento disse...

Beleza ... de uma vida em flor...

(*)

Sal disse...

O teu post é:

Verdade
Beleza
Fatalidade

em suma:

uma Metáfora da nossa própria vida.
Mas enquanto cá estamos, insolentes humanos, mostramos a nossa beleza, não morrendo nunca para aqueles que nos amam.

bjs

Duarte disse...

Justine, tudo é possível quando duas pessoas querem.
Aqui tens a Emílio Solo em directo.
http://www.emiliosolo.com/Paginas/Videos.htm

Espero que te guste

Abrazos

un dress disse...

explodir assim beleza pura!! :)







beijO

Azul disse...

"... são rosas, senhor, são rosas!" Maravilhosa, perfeição. Subtileza pura, rasgo de verdade quase, quase absoluta...

Abraço. Até breve. Azul.

Mar Arável disse...

TAMBÉM GRITAM

QUANDO AS SILENCIAM

Duarte disse...

Justine, para mim é um prazer poder ser-te útil.

Por debaixo do vídeo, verás que indica que faz falta dispor de "Windows Media Player. Descargar"; com o rato accionas descargar e obténs, se ainda não o possuis, o sistema que te vai permitir ouvir, ademais com excelente som e imagens ao vivo.

O autor da versão inicial, em italiano, é Massimo Ranieri. Esta sim está em YouTuve, em Espanhol e em italiano. Mas não a de Emílio Solo.

Vieira Calado disse...

E permanente ressurreição, direi eu.
Um abraço

JPD disse...

É verdade.
As rosas que tenho cá em casa cumpreem essa bela sazonalidade também.

legivel disse...

... é assim a modos que tiro e queda (peço desculpa pela linguagem a roçar o popularucho)

sem pedir licença
a flor explodiu
e com sua presença
o jardim floriu

amanhã partirá
diz adeus ao jardim
o jardim chorará
e eu? ai de mim!

Estas rimas pretendem ser uma homenagem sentida ao passamento da flor, uma vez que não me será possível assistir ao acto fúnebre.

legivel disse...

... nesta hora de tristeza para todos nós, agradeço as tuas palavras. Outras ocasiões se depararão para tais eventos menos alegres, uma vez que o que não faltam são flores a secumbir todos os dias. Infelizmente.
Mas o soriso fortalece-nos para seguir em frente nas avenidas da vida mais ou menos floridas.

Um óptimo dia!

Fernando Samuel disse...

É a vida... não é?...

Carla disse...

efémero mas extremamente belo
beijos

Idun disse...

assim fosse com qualquer ser vivo: nascer, num cântico à Vida, deixar um rasto de beleza e morrer sem dor, serenamente, entregue ao vento ou às mãos da chuva.

marradinhas afectuosas, amigos.