quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Sem corpo

A roupa destituída de corpo. Do corpo que escondia os afectos. Dispensáveis. Dispensados. Desaproveitados. Como uma roupa sem corpo.
Invisíveis, aves de rapina sobrevoam Callas, a traída.
.
(após visita à decepcionante exposição, e parafraseando uma amiga poetisa)

.
(Bill Evans, When I fall in love)

44 comentários:

legivel disse...

... não consigo "ouvir" a voz da diva em Lucia di Lammermoor a partir da imagem.

O guarda-roupa apenas será um sucesso com artistas lá dentro.

abraço.

JPD disse...

Conheço mal a biografia da Callas.
Porém, penso sempre como foi possível, na aparência, bem entendido,ter uma carreira tão marcante, ser tão dominadora, e nas questões afectivas tão frágil?

Terá sido por esse facto que os clássico de paixões arrebatadas foram tão brilhanemente cantados?
Bj

intimidades disse...

adoro ouvi-la em casa sozinha com um bom vinho do porto


Lindo conjunto

Jokas

Paula

Ouvendo disse...

A roupa despida de corpo. A roupa que escondia os afectos. Indispensáveis!
E sempre a dúvida de quem trai e de quem é traído.
O "post" vestido, não de roupa mas de Bill Evans... e eu escrevendo para continuar a ouvir. Assim. Enquanto.

Duarte disse...

Trazes-me aos pares aqueles que admiro. Callas, a voz, para mim única. Ainda tendo alguma mais que me agrada: ultimamente Cecília Bartoli.
Que te posso dizer do "poeta do piano"?! render-me.

Com afecto, um beijo

Sal disse...

Callas: adoro! Fez este mês cerca de 50 anos (ou mais, agora não sei de cor) que ela veio a Lisboa.
Bill Evans: não te ouço!!!! e gosto tanto de ti.
Roupa:... gira. Vai um cocktail?
:))

beijo

cristal disse...

Preciso de conseguir ouvir o que nos ofereces. É frustrante porque fico quase sempre com a sensação de perder uma parte importante da mensagem. No entanto, acho que consigo captar a parte importante acerca da Maria Callas. Ouvia-a ontem e hoje e continua a fazer-me arrepiar a pureza da voz, a emoção do canto em cada nota. Ah! E a sua dorida vida sentimental que tu aqui tão subtilmente recordas

Maria disse...

Não ouvindo o que aqui colocas, prefiro mesmo ouvir Maria Callas em casa, e em dias especiais....

samuel disse...

Visitar fatos da Callas só resulta para quem tiver ainda impressa no cérebro a memória da sua voz tremendamente diferente...
Quem for atrás das histórias cor-de-rosa da sua triste vida sentimental... danou-se! Ela era (ao que dizem os biógrafos) uma pessoa difícil, segundo uns, insuportável, segundo outros, profundamente só e infeliz, segundo todos.
Ah... e uma imensa artista!

Abreijos

BlueVelvet disse...

A tragédia da vida desta mulher deve tê-la ajudado a ser a artista que foi.
Quem sabe ela teria trocado uma coisa pela outra...
Segundo parece não era uma pessoa fácil, mas quase nenhum génio o é.
Beijinhos

Violeta disse...

Como grande diva que foi, uma exposição sobre ela ficará sempre aquém, a não ser o que referes a ausência de alma. Acontece a quem ama demais; um dia a alma esvai-se...

Licínia Quitério disse...

Para além de todas as traições, a voz, a voz... "qual cor tradisti, qual cor perdisti...".

Um beijo.

volto logo disse...

Aqui estou reouvindo (e lendo os comentários).
Acham que é mesmo necessário falar da vida da senhora? Falem-lhe da voz (e têm muito para dizer), falem-lhe dos fatos (e da exposição decepcionante ao que dizem) mas deixem a vida da mulher (disso, falou-se demais - acho eu - por outras páginas...).
... acabou o piano! Volto logo.

Justine disse...

Cristal, Sal, Maria: a minha música só pode ser ouvida por quem utiliza o browser Internet Explorer(por exemplo, no Firefox não se consegue ouvir, não sei se é esse o browser que vocês usam).
Lamento muito:))

greentea disse...

callas ...oiço às vezes , mas não muito...
vi o filme da sua vida , as cenas com Onassis , o repúdio e o drama subsequente, mas o guarda roupa nada me diz...

Teresa Durães disse...

roupa sem expressão

Lúcia disse...

Fortes palavras, as tuas. Deve ser mesmo uma desilusão...

mena m. disse...

A roupa destituída de corpo.
O mesmo corpo que deixou por terra quando partiu.

Ficou a voz, espelho da sua alma...

Tive pena de não poder estar lá convosco, pelos vistos só perdi o convívio!

Beijinho

mena m. disse...

P.S.
Que m+usica!

cristal disse...

Obrigada pelo esclarecimento. É mesmo preciso só trocar de browser. Agora já estou a ouvir... :) BJ

Pitanga Doce disse...

Pois eu ouço bem a tua música e nem sabia que era por causa de um gajo chamado Browser. hahahahah


beijinhos

as-nunes disse...

Justine
Belo post (diz-me um amigo que devíamos usar a expressão "entrada", até se exalta quando se fala das barbaridades que, diz, andamos a fazer com a língua portuguesa).
Nunca fui um grande fã de Callas. Problema meu, que enveredei por outros caminhos...

mdsol disse...

Não conheço muito a biografia da Callas, mas atrevo-me a perguntar se ela não foi logo traída em vida, e muito!
O teu post diz tanto que me faz adivinhar a exposição que não irei ver.
beijinho
:))

rosasiventos disse...

como palavras...

[ que em nada baste
que as pa lavras se des tapem
dos seus corações em cio
e mergulhem facilissima mente
no domínio comum das bocas
seta recta a perfurar códigos de esp aço


...

Fernando Samuel disse...

Sendo assim não vou ver a exposição.

ELA esteve cá, no S.Carlos, em Março de 1958, a cantar a Traviata - foi um espectáculo memorável a que eu tive a felicidade de assistir...

Um beijo.

mfc disse...

Uma coisa é a nossa actuação pública e outra, bem diferente, a privada!

poesianopopular disse...

Duas maravilhas do Mundo, a voz da Cllas, e as mãos de Bill Evans no piano.
Obrigado amiga.
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Com um pouco de imaginação metemos o seu corpo neste conjunto tão sereno, tão clássico e depois é só ficar à escuta, embora seja uma toilette da mulher e não da artista (assim me parece)...

Abraço

mariam disse...

eu, nunca ouço a sua música! uma pena!

olhe, que engraçado, até à uns tempos, nunca tinha prestado atenção às eventuais exposições de ... roupa... no passado dia 1, aquando da minha ida à EXPO(Zaragoza), fiquei alojada em madrid, então deambulei um pouco, e um jovem produtor de cinema que conheci no avião aconselhou-me a visita a uma casa recente (tipo CULTURGEST) "La Casa Encendida" e... então lá tinha patente uma pequena exposição de fotografia e roupas.. "Àlbum familiar CAJA MADRID 2008 «La moda 1839-1980», fortemente vigiada por 2 seguranças, e de que não pude tirar fotos(claro) e, não é que gostei (muito)!!!


um grande sorriso outonal para Si :)

mariam

Sal disse...

AAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH

Deixa-me mandar um berro, depois de ter descoberto que o Fernando Samuel ouviu a Callas em 1958.

Fernando Samuel:vais ter de me contar TUDINHO!!!

Justine, desculpa a invasão. Mas fiquei transtornada por saber que o FS ouviu a Diva.

beijo

pinguim disse...

Ainda não vi a exposição, talvez vá ver no domingo, mas penso perceber o sentido da tua "desilusão"...
Beijinhos.

~pi disse...

sei bem esse vazio

( se a ave já se foi...



~

Lola disse...

Justine,

A roupa às vezes fica com o perfume de quem a usou e deixa-nos memórias.

Beijos grandes

vida de vidro disse...

Importante, a voz. E a forma como se dava em cada espectáculo. A vida já foi glosada em todos os tons. Acredito que não deve ter sido fácil.
A roupa... pois, sem o corpo, deve dizer pouco! **

intimidades disse...

eu sou capaz de fazer daquelas coisas mas estranhamente nao as faço...

Ando aqui a descobrir o mundo do MSN e afins, demorei a aderir mas estou a gsotar

Jokas

Paula

.[P].a.[R].ente disse...

Uma dupla e tanto, você e sua amiga. rs
Vão a mais exposições. =D

Cheiiro...

1/4 de Fada disse...

Tomei nota da opinião... Tenho tido muita vontade de ir ver a exposição, porque sou uma apaixonada pela vida da Callas.

rosasiventos disse...

no body

mariam disse...

bom fim-de-semana

um abraço outonal
um mimo
e um sorriso :)

Mar Arável disse...

pREFIRO UM CORPO SEM ROUPAS

QUE NÃO SEJA AVE DE RAPINA

E CANTE

CANTEMOS

M. disse...

Disseste-o muito bem, Justine.

Tinta Azul disse...

A roupa sem corpo para que serve?
:)
Bjs

Filomena Barata disse...

a voz quedará para além do corpo desabitado!

jawaa disse...

Desde Baco que não passava por cá, tenho andado um pouco em baixo de forma - basta uma constipação (de chorar) que não tinha há anos.
Quis antes escrever email, mas não o tens disponível. Assim, escolhi esta sem corpo para te dizer que o teu bichano é uma coisa especial que só tem paralelo «chez CG» naquela pose de se oferecer à fotografia que eu acho um espanto!
Aquela citação do Eugénio de Andrade vem a matar ilustrando uma foto. Ali estamos, nós, afinal.
O teu espaço é um encanto para mim, de uma tranquilidade, uma doçura muito bonita. Já te tinha dito?
Não repares, eu comento pouco, não tenho paciência (e vá lá que não tens letras), estou sempre a pensar que tenho outras coisas para fazer, que tudo isto é irreal.
(Não é!)
Um beijo para ti e outro no focinhioto desse gato lindo e mimado.
Um béu do Matisse (que é uma pilha Duracell e não deixa tirar fotografias decentes porque corre logo para quem está a prestar-lhe atenção, é um carente sem emenda).