domingo, 28 de setembro de 2008

Símbolos

Aproximação fugaz ao sonho e à promessa de partida, o rio está para além da beleza: é horizonte insondável, é mito e símbolo.
Da ponte, diria que continua a ser um traço-de-união.

55 comentários:

Fernando Samuel disse...

Que ela seja cada vez mais um «traço de união»...

Um beijo.

pinguim disse...

É curioso que nós quando nos referimos ao rio, associemos sempre a ponte, "aquela" ponte...
Seria quase impossível imaginar o rio e todo o seu significado sem ela.
Beijinhos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Justine, qe seja sempre uma passagem para a outra margem...
Beijo

Tinta Azul disse...

As pontes são para unir. É preciso é que as pessoas as atravessem...
Beijos

Pitanga Doce disse...

"O rio está para além da beleza", sim senhora. Este, e os outros que me acompanham na vida, o Douro, o Mondego, o Dão.
As pontes são a possibilidade de tê-los aos nossos pés, ali tão perto...

beijos e bom domingo

poesianopopular disse...

Justine
Atrever-me ía a dizer que:-já é uma união de facto.
Já raramente se houve dizer:- a outra banda.
Abraço

mfc disse...

O partir é subjectivo.
... já o chegar é objectivo.

Maria disse...

O que une também separa, mas as pontes serão sempre de unir...
Gostei destas tuas palavras.

Um beijo

Idun disse...

também gosto das outras pontes que permitem atravessar os precipícios.

tenho passado aqui várias vezes mas desisto sempre de comentar os teus últimos posts. é que os assuntos abordados davam "pano p'ra mangas". o corpo ausente da callas (estará lá, a memória do gesto que sublinhava a voz?)e, em eugénio, a angústia de que o desejo deixe de incendiar em beleza o corpo, a natureza, a palavra. enfim,eu, simples felina, acabo por bater em retirada, a pensar em tudo isto e a falar com "os comigos de mim"... :)

marradinhas amistosas e boas saudações ao sol,em companhia do mounty.

cristal disse...

Que bela foto muito bem casada (como sempre) com as palavras.

mena m. disse...

Que harmonia perfeita!

Belíssima foto!

Por vezes é preciso saltar sobre a própria sombra e atravessar a ponte sem olhar para trás...

Um abraço

JPD disse...

Apenas um detalhe, Justine: não as vemos, mas sabemos de certeza segura que elas lá estão, as tágides.
Bjs

Por aqui disse...

O rio junta as águas. Este, junta as da ribeira de Seiça, do Nabão, do Zêzere, e tantas outras, para as levar até ao mar. As águas vão passando sob pontes que unem margens. Esta, une a "outra banda" com a banda dita de cá e que é, também, outra, vista de lá.
Tudo parece harmonioso debaixo das nuvens que cobrem o céu, enquanto se acendem as luzes nas outras bandas...
O teu blog leva-nos a ver assim, com a ajuda de flores, árvores, gato, agora de rio e ponte.
Assim é. Por aqui. E, também, luta para que assim venha a ser.

1/4 de Fada disse...

Embora a nova ponte seja muito mais mediática, para mim, esta será sempre A ponte.

Lúcia disse...

A ponte, o rio e a união. Em simples palavras expressas uma bonita imagem e um belo ideal.
Beijinhos

intimidades disse...

adoro a cidade e adoro as pontes que me levam a ela

Jokas

Paula

Duarte disse...

Excelente fotografia.
As águas são um espelho e o céu ameaça em dificultar a visibilidade com que se pode apreciar a silhueta da ponte.
Essa ponte que, como muito bem dizes, é um traço de união, já que permite a aproximação de culturas.
Beijos

Perdido disse...

S. Francisco com nimbus-estratos no horizonte? Não, o rio é aqui mais perto.Um traço de união entre a gente nortenha e a praia algarvia. Agora pontes há outras que a capital, outrora do Reino e do Império, circula na IC 19, mas circula mal porque a artéria está repleta de placas de colesterol bom ou mau mal digerido. A ponte é apenas um ruído monótono das vibrações que se sentem nas esplanadas das docas de Alcântara provocadas por milhares de zombis que dia após dia fazem pingpong dos braços do Cristo para os restos de seringas espalhadas pelos ventos do Casal Ventoso.

Da ponte, eu não diria...

Sal disse...

Tudo belo. As palavras, e o céu, a água, e o horizonte, e tudo, tudo. Depois de ter ficado deprimida no Cheiro da Ilha (que me desculpe a Maria, mas eu já lhe expliquei), consigo aliviar os meus maus pensamentos, olhando para esta foto.
beijinhos

mariam disse...

bela foto!
bela mensagem!


boa semana
um sorriso amigo :)

Mariam

BlueVelvet disse...

Que engraçado: para mim a ponte está ligada a tanto aborrecimento que nunca me lembrei disto.
Mas tens razão, é de facto um traço de união.
E a fotografia está sublime.
Boa semana e muitos beijinhos

Licínia Quitério disse...

Simbolicamente dizendo, são as melhores construções dos homens: as pontes.

A foto está linda. Que fim de tarde!

Um beijo, Justine.

Rosa dos Ventos disse...

Gosto de pontes! :-))

Abraço

dona tela disse...

Uma semana muito fixe para si.

as-nunes disse...

Ontem, eu a Zaida (Paiva), estivémos num almoço de aniversário ali para os Andreus, digamos que a 2 Km de casa.
Ao regressarmos, pensámos, porque não irmos por aí? Acabámos por dar connosco em Ourém. Porque não irmos ao Olival, terra onde viveu os seus últimos tempos de vida o poeta Acácio de Paiva, tio-avô da Zaida? Lá andámos mas muitos anos são passados desde os tempos da poesia de Acácio de Paiva. Ficou-nos o aspecto nostálgico da tarde na paisagem bucólica daquele lugar.
Pontes que se esbatem no tempo!...
António

Azul disse...

...o rio é travessia interminável... deslumbramento, amanhecer sempre luzente, estrada confiável! Um beijo para si. Até breve. Azul.

Anónimo disse...

... "a ponte é uma miragem"...

beijocassssss
vovó Maria

Vivian disse...

...e aí me veio um pensamento muito sábio que diz assim:

'na vida devemos construir pontes ao invés de muros'

amei estar aqui...

bjss

fui mas volto...há se volto!

cuentosbrujos disse...

Pasé por el puente, pero nunca vi el cielo magnifico que nos muestras, me encantó
saludos brujos

Azul disse...

Olá meu querido. Hoje não fui ao escritório, mas amanha irei e certamente estarão lá as coisas que me enviou. Já chegaram mais algumas, mas amanha darei noticias a confirmar ok? Obrigada, do fundo do meu coração, pela confiança que em mim deposita mesmo sem me conhecer. Obrigada mesmo! Até amanha. Um grande abraço sentido. Azul.

cuentosbrujos disse...

regresaré

Mar Arável disse...

Do ventre até à foz

legivel disse...

das pontes que atravesso
das que nunca atravessei
daquelas que não confesso
que do meio nunca passei.

das percorridas a pé
de moto e bicicleta
deitado e a dormir até
na ronceira camioneta.

e do dentista as pontes
dessas que não têm pilares
correm-me suores das frontes
e moem-me os maxilares.

mas a ponte que mais gosto
é a ponte sobre o tejo
onde correm águas mil.
até o rio, quase aposto
lhe deu um enorme beijo
no vinte e cinco de abril.*


* Imagino o rio a levantar-se para beijar a ponte e o pessoal nos cacilheiros aos berros, aterrorizado... Só visto.

samuel disse...

Este é um dos lados bonitos do ser humano: fazer pontes...

Patti disse...

Esta ponte é a Ponte de Lisboa. E o nosso Tejo nasce em Espanha , mas ficámos nós com o mais bonito que ele tem, o seu estuário magnífico.

Carla disse...

é tudo isso, mas acima de tudo é promessa de vida...
beijos

greentea disse...

normalmente atravesso a ponte pelo menos uma vez por semana ao domingo à noite , para ir levar a miúda ao Campus do lado de lá.

A volta é sempre uma agradável surpresa e acho sempre Lisboa tão liiiiiiiiiiiiiinda ! (sou alfacinha babada , sim !)

Gargola disse...

Un tal 'Brujo' me guía a este espacio. Como estoy completamente embriagada con el Cuarteto, que me llegó tardíamente... pero llegó, sigo los pasos de la misteriosa Justine. Lo que he visto hasta ahora me gusta y si no te importa, seguiré volviendo.
Te invito a pasear por donde nosotros creamos el tiempo (de muitas maneiras e também em português!!!).
Um abraço

osátiro disse...

Uma foto cheia de significado; que nos leva a sonhar.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As palavras vão bem com a fotografia, mas hoje ainda estou embrenhado nas paisagens de um Douro que me devolve a vida e cujas pontes me transportam até um mundo que almejo, mas não encontro.

mdsol disse...

justine
Que bem que escreves! Da ponte concerteza, do rio também ... (navegar é preciso) e da vida pois claro... assim suavemente, dizes tanto do essencial...
Beijinho
:))

Gargola disse...

Obrigada por aceitar o convite! Tus comentarios me halagan y ponen sentido en el sinsentido de escribir al viento.
Assim, com Drummond, Benedetti, Pessoa, Cecília e outros seguiremos visitando-nos!
Outros abraços: de aqui e de 'allá'.

Eyes wide open disse...

Uma das minhas paisagens favoritas... :)



*

~pi disse...

construir pontes

saber escolhê-las

olhá-las

amá-las

atravessá-las

( essa é graNde! :)




beijo




~

Violeta disse...

linda a foto...

Azul disse...

Olá Justine. Vim dizer-lhe que chegou tudo muito bem. Muito obrigada a si, uma vez mais, e á sua amiga. Obrigada. Até breve. Azul.

Chat Gris disse...

linda, linda a fotografia!

Vieira Calado disse...

É um traço de união.
Mas, como digo num poema:
"passar a ponte... (...)
atravessar o rio
e sentir do outro lado mesmo frio..."
Cito de cor.
Cumprimentos

mariam disse...

passei só p'ra dizer olá!
no fim-de-semana voltarei com mais tempo, tenho tido uns dias CHEIOS de trabalho e à noite, estou demasiado cansada para vir aqui... sorry!

bom resto de semana
um sorriso :)
mariam

rosasiventos disse...

ex - ito - miau - ma - cio

ro - lo - bola

dou - ble

do - bo cauda - nu - velo

-

ou -



- tr o



:)



~

instantes e momentos disse...

muito bom voltar aqui. Sempre muito bom.
Maurizio

vida de vidro disse...

Uma ponte de união. Espera-se, precisa-se. Linda foto!! **

Violeta disse...

com alguma imaginação vejo a minha casa...
bjs
e o gato, que é feito dele?

Tinta Azul disse...

e é preciso atravessar os rios...
:)
Beijos

M. disse...

O pior é quando as pontes não estão bem assentes. A fotografia está belíssima.