quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Intervalo poético


Hoje acordei na dispersão cinzenta
dum dia decepado...
Com o corpo dividido,
as imagens sem olhos,
os gestos a fugirem-me dos dedos
-e a sombra esquecida no quarto ao lado.
Desatado de mim,
andei todo o dia assim
com os passos nas nuvens,
os pés na terra,
as mãos a estrangularem o nevoeiro,
e os olhos...Ah! os meus olhos onde estão?
(Só há momentos me encontrei por inteiro
num charco a evaporar-se do chão...)
.
José Gomes Ferreira, Poesia-III
.
(desabafo, pedido emprestado a um poeta querido)

.
Chopin,Nocturno nº21(Maria João Pires)

40 comentários:

tinta permanente disse...

O José Gomes Ferreira desculpar-me-à mas deixei os olhos nos azuis...

abraços!

Paula Raposo disse...

Um dos muitos fabulosos poemas de José Gomes Ferreira! Tão belo. Ao som de Chopin...uma maravilha! Obrigada por este momento. Beijinhos.

Fa menor disse...

Lindo poema!

Há dias assim mesmo...carregados de cinzento e água que faz enlamear o chão.

Emerge!

Beijos

salvoconduto disse...

Lá onde quer que ele esteja José Gomes Ferreira sorriu ao ouvir o pedido e ao ouvir Maria João Pires.

mfc disse...

A escolha perfeita para um dia desencontrado, desmarcado, descaracterizado, amorfo, abúlico.
Revi-me, mas só ele o podia ter dito tão bem.

Van Dog disse...

Lindo.

Juani disse...

a mi hay dias que me pasa lo mismo, es curioso este poeta lo descubri hace unos meses navegando por la red, buscando poetas portugueses, me gustaron algunas de las poesias que lei, te dejo una que me cautivo
O amor que sinto
O amor que sinto
é um labirinto.

Nele me perdi
com o coração
cheio de ter fome
do mundo e de ti
(sabes o teu nome),
sombra necessária
de um Sol que não vejo,
onde cabe o pária,
a Revolução
e a Reforma Agrária
sonho do Alentejo.
Só assim me pinto
neste Amor que sinto.

Amor que me fere,
chame-se mulher,
onda de veludo,
pátria mal-amada,
chame-se "amar nada"
chame-se "amar tudo".

E porque não minto
sou um labirinto.

saluditos

QUIM disse...

Gostei e muito! Não percebo porque já não se fala do José Gomes Ferreira! Passou de moda por não ser um poeta hermético????

Um beijo

QUIM

1/4 de Fada disse...

Ah, mas eu adoro José Gomes Ferreira, e então ao som desta música linda!

bettips disse...

Onde se nos ficam os olhos.
É lá, nos reflexos que nos trazem a poesia desatada. De ter estado.
Perfeita imagem(s).
Bjinho

Duarte disse...

Excelente composição. Tudo concorda, até as fotografias!
Gostei, e muito.

Um grande abraço

legivel disse...

... como o poema do José Gomes Ferreira se casa bem com o Nocturno de Chopin tocado pela Maria João Pires.
Que venham mais desabafos destes. Poeticamente intervalados para que o Mounty não recomece a miar... protestando.

ParadoXos disse...

de facto, foi um encontro SIM!
:-)

um encontro com a amizade que somos, amiga Justine!

teu beijo, Heduardo

Arabica disse...

Justine,


Li e reli este teu intervalo;
José Gomes Ferreira merece e esta tua conjugação apela a ficar.


Um beijo e um miau de um gato vadio :)

Rosa dos Ventos disse...

Como eu gostaria de saber desabafar como tu, com poesia e música.
Tens que me ensinar porque bem preciso!

Abraço

vovó disse...

é tudo belo, Justine! e ...pronto.
beijocasssss

BlueVelvet disse...

Que intervalo perfeito: o poema, as imagens escolhidas e a música.
Adorei.
Beijinhos

Fernando Samuel disse...

Tudo belo: a foto, o poema, o nocturno...


Um beijo.

samuel disse...

Belo intervalo!
Quantos anos faltarão para que algum canal de televisão tenha "intervalos" assim?

Abreijos

mena m. disse...

Se o resultado é este, faz o favor de acordares assim de vez em quando...

Bom fim de semana para ti também!

Beijinho

Mel de Carvalho disse...

Minha querida Justine,
que bom foi reler José Gomes Ferreira, já que o único livro que dele tenho está na casita de Peniche e, por afazeres que "não lembram ao diabo", nem para lá ir vou tendo tempo... nem sequer para escrever, que o que tenho publicado é tudo mais velho que a "Sé de Barga", como se diz por aqui...é a vida!

Um beijo saudoso e votos de excelente Carnaval

PS: A Xiluca manda beijinhos ao amigo dela, o seu gato, claro ...


Mel, www.noitedemel.blogs.sapo.pt

Maria P. disse...

Que maravilha...

Beijinho*

Anónimo disse...

Querida Justine

E para quando uma tarde ou serão poético em que disséssemos os poetas e poemas que nos aquecem as horas difíceis e iluminam os dias cinzentos?
Juntar os amigos dispersos?
Beijo Grande

Balthazar

Gárgola disse...

Há poemas que expressam perfeitamente momentos y sentimentos de uma cansada sexta feira, num país onde o carnaval parece uma comedia ruim: descolorida e sem graça.

beijos

intimidades disse...

lindissimo

jokas

Paula

Sofá Amarelo disse...

De vez em quando também uso as mãos para estrangular o nevoeiro que, por acaso, hoje era muito aqui para os meus lados... mas um poema houve que acabou por trazer o Sol de novo...

Pitanga Doce disse...

Não vamos muito longe. Ontem assistindo a um programa de Tv, vi uma história tão parecida com a minha há tempos atrás e pensei: aonde foi que me perdi?

boa noite Justine

~pi disse...

bocado a bocado estilhaçamos

às vezes

( e voltamos depois

limpos:

mais

transparentes





beijo






~

alternativa pérola disse...

Esta foi a fase que mais me impressionou no JGF.
"Ah... Não existir só no espelho,
Sem alma deste lado..."
In Poesia I
Tinha eu 16 ou 17 anos.
Uma fase "existencialista" que tinha o seu paralelo no cinema e na música.
Obrigada por ma recordares.
Um Beijo

mundo azul disse...

________________________________

Infelizmente há dias assim...Ainda bem que logo passam, dando lugar ao céu azul e ao sol brilhante!


É um lindo poema!


Beijos de luz e o meu carinho...

__________________________________

utopia das palavras disse...

Só Jose Gomes Ferreira podia ter dito desta maneira, a gragilidade dos corpos e dos dias...!

Belo post, poema musica e foto!

Beijinho

Tinta Azul disse...

Como são bonitos os teus intervalos.

:)

mdsol disse...

Intervalo muito intra!
E eu a gostar (olhá novidade! rsrs)
beijinho
:)))

M. disse...

Lindíssimo poema neste teu azul de águas e patos.

Mar Arável disse...

Perfeito casamento

em comunhão

de azuis

anamar disse...

Ainda bem que mais alguém pega no tão querido s saudoso José Gomes Ferreira! Um poeta tão esquecido!
Apareça pelo maravista-anamar.
De quando em vez a poesia tambem cai por lá!
Foi bom descobri~la!

poetaeusou . . . disse...

*
josé gomes ferreira,
,
maria joão pires
e
justine,
inseridos num magnifico dia,
que mais poderei querer ???
,
conchinhas de amizade, deixo,
,
*

Violeta disse...

poesia e música muito cativantes. obrigada!
Boa semana

Benó disse...

Já é a 3ªvez que aqui venho.Gostei de reler e de reouvir nesta hora já tardia da noite em que ainda não é madrugada mas também já não é dia.

Abraços.

bettips disse...

Em dias idênticos, estávamos a pensar
em empréstimos
da poesia aos nossos poetas
para dizermos
o que a voz não sabe
ou não pode
ou cala
Bjinhos

(eu continuo e até me lembrei de ti hoje...)