segunda-feira, 30 de março de 2009

Lugares da Memória - III - Foz

Começa-se por terra, percorrendo com o olhar a corda gasta que nos ata ao tempo

Pelo caminho encontra-se o presente insólito, e sem querer atribuímos à pedra um sentimento, um desejo. Ao fundo, o passado intacto.

Sempre deslumbrados, os olhos alargam-se até ao horizonte, onde nem uma onda parece enrugar a superfície perfeita e azul.

Por fim, apaziguadas as saudades, vê-se o dia partir, sem ruído.
Fica a memória.
.
It's easy to remember, John Coltrane Quartet

39 comentários:

Pitanga Doce disse...

Fui as Caldas no século passado. Nem me lembro mais como nem com quem, mas deve ter sido com algum parente que achava que a terra é só as louças engraçadas porque é tudo que me recordo. Preciso desfazer essa impressão com toda urgência!

beijos e bom dia

Rosa dos Ventos disse...

Belas fotos!
Tu, os gatos e o mar...
Perfeitas as palavras!

Abraço

Maria disse...

Que tempo bom nos dias em que por lá andaste! O mar a parecer um lago... e a lagoa tão assoreada... e a Berlenga ao fundo!
No nosso tempo não havia uma única casa no Gronho. Hoje é o que se vê...
Fiquei com saudades. Vou até lá depois de amanhã!

Beijinhos

~pi disse...

fo zes: início de sombras

luz que se apaga

de va gar,

[ a memória de muitos dias

jáaaaaaaaaaaaaaa



beijo




~

Teresa Durães disse...

bela memória!

Paula Raposo disse...

Lembrei-me da Foz do Arelho onde há 50 anos o meu pai pescava uns robalinhos que seriam o meu almoço!! Que lindas fotos!! Muitos beijos.

mena m. disse...

Que lindas as memórias e as fotografias!

A do gato é giríssima e esse mar azul, deixa-me verde de "inveja"...
:-))!

O pôr-do-sol uma maravilha!!

Estou habituada a vê-lo desaparecer do lado esquerdo da Berlenga...

salvoconduto disse...

Um monumento ao Mounty?!!

Fernando Samuel disse...

Fica a memória - o que importa.


Um beijo.

mdsol disse...

Histórias da memória. Sempre bem contadas e bonitas!

beijinhos
:))

heretico disse...

excelentes as legendas. que abrem memórias...

anamar disse...

Segui a viagem e as palavras!
Beijinho

intimidades disse...

simplesmente lindo

Jokas

Paula

Duarte disse...

Memórias visuais para recordar com o tempo, que as fará belas com a palavra.

Bonitas fotografias...

Um grande abraço

as-nunes disse...

Sem memórias o que somos nós?
Nada?
Belas evocações fotográficas!
António

QUIM disse...

Belo passeio...belas fotos...belos textos...

QUIM

Juani disse...

Esas imagenes, arrulladas por la musica, dan ganas de dar un paseito
saluditos

legivel disse...

... sempre achei que Coltrane se colava muito bem à cidade de Lisboa... à noite e um pouco menos moderna(?!). Afinal os teus Lugares da Memória estão tão bem para a música dele como a música dele está óptima para os teus Lugares da Memória.
Pena é o gato (que conheço) não fazer jus (plásticamente falando) aos seus irmãos felinos em geral e ao Mounty em particular, mas prontos, nem todos podemos ser perfeitos...


Sorrisos.

dona tela disse...

Que sítios tão bonitos que a Dona Justine conhece. E as coisas bonitas que escreve sobre eles...

Muito obrigada.

utopia das palavras disse...

Serenamente quieta te li... e deslumbrei!!!!!

Beijinho

Licínia Quitério disse...

It's not easy to forget. No way...

Este Coltrane e mais tudo dão cabo de mim.

Beijinho.

Patti disse...

E logo à memória me chegou a bela Foz do Arelho...

Maria P. disse...

O meu Oeste...
Houve um tempo que ia às Caldas todos os meses, já tenho saudades.

Beijinho*

Tinta Azul disse...

E como é bom ficar na memória. E com estas belas fotografias na memória tudo mais nítido.

Bjs

Benó disse...

Fica a memória de sítios onde certamente foste feliz.
Belas fotos, Justine.

Azul disse...

Olá Justine. Passei para a cumprimentar. Que belas fotografias mais uma vez. Bons passeios pela memória! Até breve. Azul.

bettips disse...

Também pensei que "nos lembrámos" - pensei mesmo em ti...- destas coisas de anos "entas"...
E a Foz e os gatos e a memória!
Que nos sejam fiéis; e nós a elas.
Fotos de encantar...
Bjinho

PreDatado disse...

Um belo passeio com excelentes fotos.

.POTT disse...

Olá!
Afinal encontrei-a....
Bela descrição.
E a propósito:..por falar em Saudade...não é verdade que o tempo passe.Fica nas coisas para que um pouco de nós sobreviva à nossa desapropriação.As casas decrépitas,os móveis antigos,têm uma alma composta de emanaçôes do passado;conservam os
séculos na sua argamassa e nas suas fibras;são acumuladores de tempo,de ternura,de afectos estratificados que se volatilizam,que se nos oferecem quotidianamente,sem que o percebamos,e transformando os túmulos da história em poesia taciturna.
Do seu

POTT

Lúcia disse...

Lindo! Bebem-se as letras e as imagens! Schiu...

poetaeusou . . . disse...

*
justine
e o Nadadouro ???
aquele cheirinho
a ensopado de enguias,
ou a ASAE, passou por lá ?
srsrsrsr,
,
serenas conchinhas, deixo,
,
*

Idun disse...

justine, nos últimos dias tenho passado aqui, sem comentar.
uma felina tem, como deves calcular, outro tipo de memórias. mas, conversando sobre os teus últimos posts com a minha Humana, disse-me ela que, em quase todas as fases da sua vida, existe um jardim, uma biblioteca ou livraria. e a foz... a foz é, sempre, a do minho, embora a do rio douro tivesse sido cenário de momentos que ainda hoje perduram.

essa foz que aqui nos trazes, também a Humana a conhece; e tem guardada no coração a foto de um menino, o pequeno samuel, sorridente,lado a lado com o sisudo gato de pedra.

marradinhas, justine, e um abraço da Humana.

Fa menor disse...

Gostei particularmente da segunda foto :)
Estátua com imaginação!

Bjinhos

Arabica disse...

Olha, Justine, eu agora sentava-me aqui e só saía amanhã de manhã.


Saudades do cheiro a mar, a sal.



Mais beijos

M. disse...

Nem fazes ideia o que as tuas memórias me trouxeram, que este lugar também foi visto muitas vezes por mim e pelo Sérgio e por ele fotografado. Nunca mais lá fui. Muito bonitas as tuas palavras a acompanhar as fotografias.

jawaa disse...

Há tardes assim, na Foz.
Um beijo para ti.

Alien8 disse...

Justine,

Para mim, a Foz é no Porto :)

Belas fotografias, certamente belas recordações, e um passeio que valerá sempre a pena.

GR disse...

Tanta serenidade,
Tanta beleza.
O Mounty sempre presente!

Bjs

GR

Mika disse...

Conheço quase de cor as imagens que desataste. É um dos refúgios próximos
que também me sugerem o clic viciante. E "quando o dia parte sem ruido" o silêncio promete-se até à próxima vez.

Da próxima deixa levar-te mais a norte e mostra-me outros clics regados de palavras tuas com o mote de uma baía também fotogénica e virada a poente.

Voltarei...noutro do por do sol. Abraço