segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Ruralidades




A ruralidade a dois passos de Lisboa e a meio passo do mar. Lugar de espantos para quem gosta de murmúrios dolentes, de tempos lentos, de silêncios intactos, da intensidade da natureza, da eternidade dos ciclos de vida. Para quem de vez em quando quer esquecer as mudanças febris.
.
Todo Cambia, Mercedes Sosa

44 comentários:

Maria disse...

Memórias da minha infância, mesmo ali a dois passos...
Calmo, relaxante!

Beijos de bom dia!

pinguim disse...

E como é necessária essa evasão ao stress urbano.
Beijinho.

Si disse...

Silêncios intactos: os meus preferidos, aqueles de que preciso todos os dias para me dar alento...
Beijinhos

intimidades disse...

va tenho mais, mas esta e a que mais me preocupa


adoro a ruralidade, alias vivo num meio mais ou menos rural

Jokas
Paula

Licínia Quitério disse...

Olha o pequenito, já todo arrebitado! Faz falta esta visão rural.

Beijinhos.

Fernando Samuel disse...

Ruralidades ternurentas...

Um beijo.

A.S. disse...

Justine,

De vez em quando precisamos regressar às origens! E sentimos dentro do peito sensações únicas!


Beijos...

Violeta disse...

Adoro burros!

salvoconduto disse...

Detesto burros!

Os outros.

cristal disse...

Espero que não "cambie" tudo, que não deixem de existir recantos onde nasçam burrinhos, os galináceos possam passear soltos e as amoras amadureçam no cercado onde o rebanho engorda. E que tu possas passar por aí muitas vezes e tragas os olhos cheios de poesia e a câmara carregadinha de imagens para partilhares aqui no quarteto :)))

Paula Raposo disse...

O que existe por aqui, mesmo a dois passos...e é belo demais!! Beijos para ti.

~pi disse...

que lindo!!

como se chama o galo, sabes!!? :)





beijo






~

greentea disse...

coisa mais linda !!!
ficaram-me no coração e na memória os burros da minha infancia , qd ia para o Baleal e o caminho para as casas ou se fazia a pé pela praia ou de burro e até a água era distribuida de burro...

aguacateyfresas disse...

que belas imagens, um prazer te visitar
Beijos Gloria

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Destes burros gosto. O problema são os outros...

Lúcia disse...

Haja alma aberta para... que os ouvidos e restantes sentidos vão atrás destas ruralidades gostosas.
(tenho lido deliciada o que está para trás. Também assisti, na mais absoluta escuridão~á chuva de estralas cadentes:))

Rosa dos Ventos disse...

Repousante e ao mesmo tempo estimulante esta ruralidade que tão bem nos mostras!

Abraço

Anónimo disse...

Quem sabe procurar acha.Imagens cheias de ternura e texto para comer lentamente até poder saborear até ao último pedacinho.
Belo!Kincas

MagyMay disse...

Justine

Como estas tuas fotografias me dão Paz e lembranças.
Como as tuas palavras apelam à calmaria nos meus dias febris...

~pi disse...

ahhhhhhhhhhhh perfect!!





beijos


[ a galinha chama-se luci lu?

hope not!! :)

Arabica disse...

Gosto muito de ruralidades.
No Zoo, durante os poucos meses de voluntariado, o burro e as cabras perseguiam-me a toda a hora, sabendo que havia sempre cenouras para o primeiro, brincadeiras para as outras. Depois, cativei os patos, que lá vinham atrás de mim, quáquáquá. Olha o que tu me foste lembrar :)

Belo passeio, bom este descomprimir :)

Beijos

~pi disse...

bem, reparei numa coisa fantástica: a galinha não depila as pernas!!

pois faz muito bem, ora! :)





~

Benó disse...

É bom acordar com o cantar do galo mas eu prefiro o marulhar das ondas.

Resto de boa semana.

intimidades disse...

hehe tambem andas de mota?
eu adoro a sensacao

Jokas

Paula

Van Dog disse...

Tão lindo! Nunca tinha visto um burro bébé...

bettips disse...

Procuram-se, que aldeias estão civilizadas demais... E talvez sejam os da cidade, com mais nostalgia da terra onde se criam os bichos.
Saindo, a dois passos de nós.
(lindo!)
Bjinho

Pitanga Doce disse...

O segundo parece o burrinho do Shrek! hehe

Alien8 disse...

Justine,

Terminando com estas felizes ruralidades, pus em dia, mais ou menos, a consulta deste quarteto. Lembraste-me o José Mauro de Vasconcelos! Mais um gato amante de arte e libertário, e está tudo dito :)

Bom resto de semana!

Teresa Durães disse...

onde vivo ainda consigo ter algo dessa ruralidade mas tempo que vá desaparecer em breve

legivel disse...

... neste país já não me admiro de nada: quem sabe se não se ganharia com a troca. A cidade mudar-se para o campo e o campo vir para a cidade. Assim como assim, é tudo apenas questão de construir mais umas acessibilidades, informatizar a mudança e o alta velocidade transporta "as coisas" de um lado para o outro. E criam-se mais postos de trabalho, claro.

Nota: os burros e as galinhas também trabucam: a recibos verdes.

Juani disse...

ES DE AGRADECER ENCONTRAR ESTOS SITIOS AUN PASO DE LA LOCURA DE LA CIUDAD,PARA PODER DISFRUTAR DE LA NATUALEZA, BONITA MUSICA
SALUDITOS

Anónimo disse...

Belas imagens , e boa música !
Um prazer ouvir Mercedes Sosa !
Abraço, Justine

___________ JRMarto

mfc disse...

Por onde nos levaste sente-se uma serenidade imensa.

intimidades disse...

hahaha olha

salto a corda 3 dias por semana no ginasio


Jokas

mundo azul disse...

_________________________________


Eu adoro lugares assim!
O burrico é uma fofura... Obrigada por compartilhar as fotos!


Beijos de luz e o meu carinho...


_________________________________

Lilá(s) disse...

Que bom ver estas imagens tão raras no nosso dia a dia, tantas crianças na cidade que nunca viram um burro e até uma galinha...
Bjs

Sofá Amarelo disse...

Puxa, adoro burros... muito mais inteligentes do que muita gente que anda por aí - sabem que se eles virem uma palhinha que seja na água de beber, já não bebem? Teimosos? Não, espertos e limpos!

Muitos beijinhos!!!

anamar disse...

Mudanças saudáveis que nos trazem outras boas memórias...
Abracinho...

Idun disse...

que belas imagens, justine! sabes, fizeste lembrar à minha Humana um domingo muito agradável deste passado agosto. como ela apreciou o convívio calmo com os bichos, os amigos, apanhar amoras, confeccionar geleia e compota,o almoço, interminável, em mesa posta no exterior da casa. sim, é um ritmo, uma tranquilidade, que nos revigoram. e que eu, felina, também aprecio.

marradinhas e muitos ronrons

pin gente disse...

eu quero, e gosto!
beijos

Pitanga Doce disse...

Tu que dizes que levo tudo na brincadeira, anda ler um assunto "´sério". hehehe

Van Dog disse...

Hoje, pela primeira vez, vi uma família de burros. São lindos!

jawaa disse...

Gosto tanto dos burros... são bichos simpáticos e muito meigos.

Chat Gris disse...

que bichos LINDOS!!!! apetece ter um, não é?