quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Lisboa em poalha azul

Hoje não quero saber dos ruídos, do lixo, do tráfego irritado, da violência, da miséria. Hoje vou encher os meus olhos com esta luz inocente e sublime e sigo para a minha aldeia. Para a semana voltarei, com saudades.

11 comentários:

mountolive disse...

Para a minha aldeia? Gostei!

Maria disse...

É bonita, sim senhora. Ao fim de semana.....

Rosa dos Ventos disse...

As últimas imagens que captei de Lisboa não são assim tão bonitas, eu diria mesmo que algumas são mesmo desoladoras.
Mas esse céu...faz-nos esquecer muita malvadez!

Justine disse...

Mountolive, então se o FP tinha uma aldeia, eu não posso ter? Esta adoptou-me, eu deixei-me adoptar e sinto-me muito bem :))

Maria, ao fim de semana Lx é uma santinha...

Rosa, pois é, a cidade tem manhas para se fazer perdoar!

Pérlas Alternativas disse...

Está a apetecer-me entrar no teu "blog" para defender esta cidade...
O que é que tem de mau que os outros sítios não têm?
È boa só ao fim de semana?
Porquê?
Eu penso exactamente o contário.Quando me afastei durante dois anos (pelas "Àfricas", onde não fui em turismo mas trabalhar,)morria de saudades da Rua Garrett, das tertúlias dos cafés, onde com os meus amigos se preparavam coisas...)
Ainda hoje sou capaz de me deslumbrar com montes de recantos que não são feitos pela "natureza" mas pela mão do homem...
E assusto-me quando estou longe, de pensar que não vou voltar.
Em Lisboa acontecem coisas fantásticas e há bairros onde se é mesmo "urbano". Sem portões, sem guardas, sem campainhas de código,etc,etc.
Não vale a pena falar só da luz, dos passarinhos,das árvores.
A noite também tem fascínio.
Assim, para o meu túmulo ou caixa de cinzas:
Aqui jaz uma mulher que gostava de cidades. Não morreu a ver os passarinhos. Morreu feliz depois de ver um fime do Visconti...

Atever disse...

Sim, Lisboa tem toda essa luz, essa beleza. Mas felizmente já vai tendo boas saídas para a malta se pirar a todo o vapor.
Também vou p'rá minha aldeia.

Justine disse...

Pois fez muito bem em entrar,P.A., embora Lisboa não precise de ser defendida, porque ela auto-defende-se com o que tem de bom, de belo, de bem feito. Mas, como tudo, também tem os seus lado negros, e apontá-los não é atacar a cidade. Eu também amo esta cidade, mas não é um amor cego.

Bom fim de semana :))

Justine disse...

Atever, obrigada pela visita e bom fim de semana na tua aldeia :))

nuno leite disse...

Tambem reconheco a minha aldeia, em Lisboa linda... Da Graca, avista-se o mundo...

Justine disse...

...e da Kerkstraat, avista-se a Graça! Não é bom ter dois centros, o mundo?

TINTA PERMANENTE disse...

É assim, no meu imaginário, a Lisboa do Ary!...

abraço.