domingo, 2 de março de 2008

Alto Minho e a irmã Galiza - dia II

Prosseguimos o nosso périplo minhoto, entrando em Valença, "tomada" pelos irmãos galegos às compras na praça central, transformada num simpático mercado, onde pequenas, antigas e belas casas são agora lojas tradicionais e restaurantes.

Saímos para, numa volta da estrada, perto de Monção, darmos de caras com a imponência granítica e oitocentista do Palácio da Brejoeira
Em Melgaço fomos surpreendidos com um inesperado e moderno Museu de Cinema, no centro histórico(sem falar numas "fatias paridas" como nunca na vida tinha provado, num célebre restaurante da terra...)
E em Ponte de Lima não fugimos à tradição, que nos soube muito bem: arroz de lampreia e rojões com sarrabulho. Escusado dizer que, depois do almoço, tivemos de atravessar duas vezes a ponte a pé...
E terminámos o dia, tranquilamente, na belíssima praça central de Viana do Castelo, com as gaivotas a trazerem até nós o cheiro do mar.
E amanhã ou depois, falaremos de Aquilino!




9 comentários:

Maria disse...

E haverá melhor local para comer o arroz de lampreia e o sarrabulho que ali mesmo?
Belíssimas fotografias, Justine...
... quase faço o passeio por aqui...

Betinha disse...

estas são as minhas terras de eleição, como adoro o minho...

Fernando Samuel disse...

Pois é: não resisto ao «arroz de lampreia e rojões de sarrabulho» - e muito menos a essa coisa que desde a minha infância me fascina: as «fatias paridas».
Tenho que ir lá.

Entretanto, espero, ansioso, pelo Aquilino.

Justine disse...

Amigos, a gastronomia minhota é "politicamente incorrecta" e, por isso mesmo, irresistível!! Regressa-se com uns quilos a mais, mas em paz com o mundo...:)

bettips disse...

Pretendia-se tempo largo...
Aqui o encontro, ao meu gosto.
Que bom viajar com amigos!
Bjinhos

TINTA PERMANENTE disse...

De Valença a porta do meio, da Brejoeira o meu saudoso amigo Pedro (que parrrecia nascido na terra do carrapau, semprre a carregarre nos erres...), de Ponte do Lima um destes dias conto uma história, da minha Viana deixo...
(lindas, as tuas fotografias...)

abraços!

M. disse...

Não me fales em arroz de lampreia que fico com água na boca. Adoro! Valença, há quanto tempo lá estive!

Tinta Azul disse...

Estive na praça central de Viana no dia 2 por volta do meio-dia. A essa hora não sabia quem era a Justine. Agora já sei.
Um beijo grande.

GR disse...

Dispensando toda essa gastronomia, Viana do Castelo é, para mim das mais belas cidades do país.
Gosto daquela gente, dos costumes dos cheiros e da cor, do rio Lima, gosto muito de Viana.
Belíssimas fotos.

GR