domingo, 16 de março de 2008

"Hier encore j'avais vingt ans..."


" en qué lugar, en dónde, a qué deshoras
me dirás que te amo? Esto es urgente
porque la eternidad se nos acaba..."
Jaime Sabines

22 comentários:

Anónimo disse...

Ah! Papoilas, juntamente com os cravos vermelhos são as flores da minha vida.

Joaquín Sabina, poeta-cantante (como lhe chamava Dolores Ibarruri).Sensibilidade, ironia e bom-gosto.
Está a começar bem para mim este Domingo.

Obrigada Justine

Campaniça

mountolive disse...

E hoje?
Quantos tens?
Quantos fazes?
Os que sentes, os que vives.
"en qué lugar?" aqui!
"en dónde?" onde nos encontrámos e onde estamos!
"a qué deshoras dirás me dirás qque te amo?" a todas as horas e deshoras, das manhãs às madrugadas!
Isto tudo, tudo isto, é urgente porque a eternidade é apenas a dos momentos, dos lugares, de onde vivemos e para onde vamos, é o tempo do amor que é o tempo eterno.

nuno leite disse...

Neste dia de 16 de Marco, tao especial e familiar, olho a chuva que cai, defronte a mim, escorrendo pelo vidro da janela. Nao me importo, pois sei ser tambem esta agua que rega as papoilas da minha Mae... Olho mais uma vez, e sempre te vejo.
Como te dizer que te amo?

Maria disse...

....
Je caressais le temps
Et jouais de la vie
Comme on joue de l'amour
Et je vivais la nuit
Sans compter sur mes jours
Qui fuyaient dans le temps
.........

Não há vermelho tão lindo como o das papoilas.
Dizem os entendidos que não é possível "fabricar" a cor da papoila....

Pelo que percebo, PARABÉNS, Justine (porque é que comecei a visita aos blogues pelo teu????)

Um abraço enorme

Idun disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Idun disse...

"j'ai figé mes sourires
et j'ai glacé mes pleurs
où sont-ils à présent
à present mes vingt ans?"

sim, é urgente decifrar os vitais ecos de amor, porque o fulgor e vida, em nós, têm a brevidade das papoilas.

belas escolhas poéticas(imagens incluídas), justine.

marradinhas amistosas cá da felina

herético disse...

urgente, o Amor! em todas as idades.

belo.

Fernando Samuel disse...

É a isso, então, que o Poeta chama o «grito rubro das papoilas»...

M. disse...

Parabéns!
Belas as palavras e as papoilas, flor que adoro pela sua simplicidade. Foi tão bem escolhida para a ideia que queres partilhar.

Justine disse...

Campaniça, amiga, este domingo também começou e acabou bem para mim...

Justine disse...

Mountolive, citando-te(perdoa a apropriação, mas ...):canto, enquanto o encanto. Que ele seja eterno!

NL, assim não vale. Logo hoje, que me maquilhei, escreves essas coisas belas e eu já estou com os olhos todos borrados...

Beijo os dois

Justine disse...

Maria, obrigada, também és da família, não te esqueças!! A canção é tão bela e nostálgica, não é?

Felina Idun, obrigada pela tua sensibilidade. Acho que compreendeste o que quis dizer.

Herético, isso mesmo, urgente, antes que a eternidade acabe!

Justine disse...

FM, é isso mesmo, e a urgência...

M. obrigada,e por me teres entendido.

Beijo a todos

Rui Caetano disse...

As papoilas têm uma cor encarnada viva profunda. Belíssimas.

Anónimo disse...

Copio para aqui também - porque é para os dois - Este ritmo é canto e, do encanto todos estamos cientes enquanto e porquanto é evidente... tanto... eternamente... MIA

Parvinha da Silva disse...

Du meilleur et du pire, en jetant le meilleur,
J'ai figé mes sourires et j'ai glacé mes pleurs...
Où sont-ils à présent,
À présent, mes vingt ans?

Bisous, ma chérie

Justine disse...

Muito obrigada Rui, Mia, PdS, pelo carinho. Beijo para todos

TINTA PERMANENTE disse...

A dona Papoula era tola, tola, tola...
Belas imagens!


Abraços!

GR disse...

A Papoila é também um símbolo de Liberdade.
Linda fotografia, belos comentários.

Justine,
Se é dia de aniversário, Parabéns!
se é mais um dia, Parabéns! por seres como és, raio de Sol todos os dias.

Um bj,

GR

bettips disse...

Todos decoramos a canção,
todos percebemos o frémito de ternura amorosa que aqui passa.
Bjjjjsss

Justine disse...

TP, não conheço a lenga-lenga, mas presumo que seja do Minho :))

GR, obrigada, amiga

Bettips, também queria dizer que o tempo pode passar docemente,mesmo sabendo que a eternidade , um dia, se acaba...

Azul disse...

Nunca é tarde demais... Apreciei este post em particular, talvez porque aguarde também eu, que alguém mo diga, mesmo sabendo que as palavras não são tudo, quando se trata de falar de amor.
Um abraço para si Justine. Até breve. Azul.