sexta-feira, 28 de março de 2008

Interim poético





Um gato, em casa, sozinho, sobe
à janela para que, da rua, o
vejam.



O sol bate nos vidros e
aquece o gato que, imóvel,
parece um objecto.



Fica assim para que o
invejem - indiferente
mesmo que o chamem.



Por não sei que privilégio,
os gatos conhecem
a eternidade.



(Nuno Júdice)

19 comentários:

GR disse...

Um poema bonito (de quem conhece bem os gatos).
As fotos?
Como sempre belíssimas.
Mounty,
Finalmente estás recuperado! Pelo sedoso, gordinho, estás o verdadeiro e belo MOUNTY!

GR

Pitanga Doce disse...

...e dizem que enxergam coisas que mais ninguém vê.

beijinhos e aqui também está sol e vento morno, mas não há gatos.

Justine disse...

GR, estou recuperadíssimo. E fiquei bem na fotografia, concordo contigo!
Marradinhas para ti :))

Justine disse...

PITANGA, um gato faz muito bem à saúde,quem o diz é "a que se julga minha dona", e eu vou fazendo de conta que acredito...
Ronrons para ti

Anónimo disse...

Mounty amigo,que serenidade,que bem estás contigo,e que bem te souberam registar.Quero dizer-te que a Mimi bem me "levou" com o ar de indiferença pelos apelos da carne!Engordinhou,ficou toda ron-rons e marradinhas e...a 15 p.p.trouxe ao mundo 3 crias,cinzentinhas como o velho Cinzas que rondara a casa.Já abriram os olhos,Beijinhos Kincas

Tinta Azul disse...

Este gato é um sortudo...
Bj

Um Momento disse...

Gato lindo!
O poema... não podia ser mais real:)
Gostei:))))))

Desejo uma boa semana deixando um beijo sorridente

(*)

legivel disse...

... a este gato não é necessário chamar para a mesa. Ele já lá está mesmo sem a dita posta*. Apetite não lhe deve faltar...


* Mesa posta, preparada para a refeição. Que no caso do felino, pode ser... uma posta de pescada. Aposto que o gato chamava à posta um figo. Ah! este linguajar luso...

o gato em cima da mesa
cogita na refeição
só ´inda tem uma certeza
à pata come com a mão

não precisa de talher
o que vier à rede é peixe
peixe pode ser qualquer
assim o apetite o deixe.

un dress disse...

gato lindo e lindo

e lindo! :)

Fernando Samuel disse...

Belo poema, belas fotos, belo gato... ah este solzinho, tão bom, tão bom, tão bom... rom...rom... rom...

Fernando Samuel disse...

Belo poema, belas fotos, belo gato... ah este solzinho, tão bom, tão bom, tão bom... rom...rom... rom...

©carmen zita disse...

Mas que belo e verdadeiro poema. Nuno Júdice é um senhor!
E o Mounty, sempre no seu melhor.
Beijos.

Justine disse...

Kinkas, parabéns pelos pequerruchos. Os próximos dois meses são de encantamento, a vê-los crescer e a ver o modo como a mãe os ensina.Aproveita bem...


TA, sou sim senhora, um sortudo, mas retribuo...

Justine disse...

UM MOMENTO, :))



LEGÍVEL, divertido o teu poema, fico muito lisongeado, mas sabes, eu sou mais carnóvoro, assim prós ratos, e pásaros,sem desdenhar, claro, um bom fiambre!

Justine disse...

UN DRESS, grande elogio, vindo de uma esteta!!


FS, com que então versejador...e divertido!

Justine disse...

Tita, acredito, porque de poemas sabes tu :)) Ronrons pra ti

bettips disse...

...pois, ele sabia "a eternidade" que ias demorar...

mariadosol disse...

tudo bonito

os gatos

também o Eugénio de Andrade os "escrevia"
:)

TINTA PERMANENTE disse...

Fazia-me algum jeito que pudesses passar cá por casa dar umas aulitas de boas maneiras!...
(palpita-me que, do hábito, já tens algumas poses de artista, não?...)
Bons solinhos!...